"Os meus amigos, tanto os cisgénero como os 'trans', são muito importantes para mim. Eles ajudaram-me a ultrapassar o medo de fazer o 'coming out' aos meus pais." Susana Vera/Reuters

Soy trans: em criança queria ser Óscar, hoje é Gabriel

No metro de Madrid um rosto a preto e branco diz, orgulhoso, soy trans. Com 20 anos, Gabriel sente-se finalmente bem no seu corpo: "É uma grande libertação".

Gabriel Diaz de Tudanca é um espanhol de 20 anos que, embora tenha nascido biologicamente mulher, soube desde cedo que se identificava com o sexo masculino. “Quando tinha três anos, voltei da escola e disse à minha mãe que, quando crescesse, seria um homem chamado Óscar”, recorda o jovem. 

Com o apoio da família e amigos, passou por tratamentos cirúrgicos e hormonais, mudou o nome e renovou os documentos de identidade para reflectir o que sente ser o seu verdadeiro género — e, durante três anos, Susana Vera, fotógrafa da Reuters, acompanhou todo o processo.

PÚBLICO - Gabriel ri-se enquanto a mãe mostra uma fotografia dele quando era uma menina. "A minha mãe apanhou-me uma manhã a pôr uma banda no meu peito e eu disse-lhe que não me sentia confortável com o género que me foi atribuído à nascença. Ela não compreendeu, mas depois disse-me que se eu decidisse usar um vaso na minha cabeça, ela também não perceberia, mas iria aceitar e fazer o mesmo." (27 de Maio de 2015)
Gabriel ri-se enquanto a mãe mostra uma fotografia dele quando era uma menina. "A minha mãe apanhou-me uma manhã a pôr uma banda no meu peito e eu disse-lhe que não me sentia confortável com o género que me foi atribuído à nascença. Ela não compreendeu, mas depois disse-me que se eu decidisse usar um vaso na minha cabeça, ela também não perceberia, mas iria aceitar e fazer o mesmo." (27 de Maio de 2015) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Gabriel segura uma bandeira durante a Semana do Orgulho. (1 de Julho de 2016)
Gabriel segura uma bandeira durante a Semana do Orgulho. (1 de Julho de 2016) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Gabriel a fumar (6 de Agosto de 2018)
Gabriel a fumar (6 de Agosto de 2018) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Gabriel faz uma tatuagem com a molécula de testosterona e as palavras "self-made man". (18 de Setembro de 2018)
Gabriel faz uma tatuagem com a molécula de testosterona e as palavras "self-made man". (18 de Setembro de 2018) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Fotografia de Gabriel na casa dos pais (6 de Agosto de 2018)
Fotografia de Gabriel na casa dos pais (6 de Agosto de 2018) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Gabriel e a namorada Ruth (15 de Maio de 2017)
Gabriel e a namorada Ruth (15 de Maio de 2017) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - (29 de Junho de 2018)
(29 de Junho de 2018) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Gabriel à espera da cirurgia (26 de Outubro de 2016)
Gabriel à espera da cirurgia (26 de Outubro de 2016) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Fotografias de Gabriel aos 18 anos (26 de Janeiro de 2017)
Fotografias de Gabriel aos 18 anos (26 de Janeiro de 2017) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - (6 de Agosto de 2018)
(6 de Agosto de 2018) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - "A minha transição não foi fácil para a minha mãe, mas ela esteve sempre a apoiar-me a 100%", conta Gabriel. (17 de Março de 2016)
"A minha transição não foi fácil para a minha mãe, mas ela esteve sempre a apoiar-me a 100%", conta Gabriel. (17 de Março de 2016) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - A mãe de Gabriel beija-o após a mudança de nome e género (25 de Novembro de 2016),A mãe de Gabriel beija-o após a mudança de nome e género (25 de Novembro de 2016)
A mãe de Gabriel beija-o após a mudança de nome e género (25 de Novembro de 2016),A mãe de Gabriel beija-o após a mudança de nome e género (25 de Novembro de 2016) Susana Vera/Reuters,Susana Vera/Reuters,Susana Vera/Reuters,Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - A mudança de género e nome no registo (25 de Novembro de 2016)
A mudança de género e nome no registo (25 de Novembro de 2016) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Gabriel no autocarro  (20 de Junho de 2016)
Gabriel no autocarro (20 de Junho de 2016) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Gabriel com a sua namorada, Ruth, junto à piscina- "Demorou algum tempo a encontrar alguém que eu sentisse que me visse como eu realmente sou. É isso que sinto com a Ruth. Ela não sabia muito transexualidade mas tudo foi muito natural desde o início e ambos temos o apoio das nossas famílias." (2 de Julho de 2017)
Gabriel com a sua namorada, Ruth, junto à piscina- "Demorou algum tempo a encontrar alguém que eu sentisse que me visse como eu realmente sou. É isso que sinto com a Ruth. Ela não sabia muito transexualidade mas tudo foi muito natural desde o início e ambos temos o apoio das nossas famílias." (2 de Julho de 2017) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Gabriel, aqui com 17 anos, dois meses depois de ter começado a tomar testosterona. (15 de Fevereiro de 2016),Gabriel, aqui com 17 anos, dois meses depois de ter começado a tomar testosterona. (15 de Fevereiro de 2016)
Gabriel, aqui com 17 anos, dois meses depois de ter começado a tomar testosterona. (15 de Fevereiro de 2016),Gabriel, aqui com 17 anos, dois meses depois de ter começado a tomar testosterona. (15 de Fevereiro de 2016) Susana Vera/Reuters,Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Gabriel é examinado pelo cirurgião plástico, Jorge Planas (23 de Novembro de 2015)
Gabriel é examinado pelo cirurgião plástico, Jorge Planas (23 de Novembro de 2015) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Prótese peniana (31 de Março de 2017)
Prótese peniana (31 de Março de 2017) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Gabriel, 20 anos, com a sua namorada, Ruth (20 de Outubro de 2018)
Gabriel, 20 anos, com a sua namorada, Ruth (20 de Outubro de 2018) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Gabriel no karaoke com amigos (22 de Outubro de 2016)
Gabriel no karaoke com amigos (22 de Outubro de 2016) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Um guarda observa para Gabriel (17 de Maio de 2016)
Um guarda observa para Gabriel (17 de Maio de 2016) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Gabriel mostra o que escreveu no braço (28 de Maio de 2015)
Gabriel mostra o que escreveu no braço (28 de Maio de 2015) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Uma enfermeira prepara o tratamento hormonal (16 de Dezembro de 2015)
Uma enfermeira prepara o tratamento hormonal (16 de Dezembro de 2015) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Gabriel à espera de entrar na água com membros do club LGBT de natação Halegatos (8 de Fevereiro de 2016). "Mal podia esperar para fazer a cirurgia de remoção do peito. Estava cansado de  usar um fato de neoprene de cada vez que tinha de ir à piscina ou à praia."
Gabriel à espera de entrar na água com membros do club LGBT de natação Halegatos (8 de Fevereiro de 2016). "Mal podia esperar para fazer a cirurgia de remoção do peito. Estava cansado de usar um fato de neoprene de cada vez que tinha de ir à piscina ou à praia." Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Gabriel prestes a tomar a primeira injecção de testosterona (16 de Dezembro de 2015)
Gabriel prestes a tomar a primeira injecção de testosterona (16 de Dezembro de 2015) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Gabriel à conversa com outro amigo "trans" na Semana do Orgulhod e Madrid (25 de Junho de 2015)
Gabriel à conversa com outro amigo "trans" na Semana do Orgulhod e Madrid (25 de Junho de 2015) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Gabriel com a sua amiga Alina (20 de Maio de 2015)
Gabriel com a sua amiga Alina (20 de Maio de 2015) Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Gabriel, com 16 anos, abraça a mãe durante uma homenagem a um rapaz transgénero que se suicidou. "Sinto que tenho sorte por contar com o apoio dos meus pais e dos meus amigos." (27 de Dezembro de 2015),Gabriel, com 16 anos, abraça a mãe durante uma homenagem a um rapaz transgénero que se suicidou. "Sinto que tenho sorte por contar com o apoio dos meus pais e dos meus amigos." (27 de Dezembro de 2015)
Gabriel, com 16 anos, abraça a mãe durante uma homenagem a um rapaz transgénero que se suicidou. "Sinto que tenho sorte por contar com o apoio dos meus pais e dos meus amigos." (27 de Dezembro de 2015),Gabriel, com 16 anos, abraça a mãe durante uma homenagem a um rapaz transgénero que se suicidou. "Sinto que tenho sorte por contar com o apoio dos meus pais e dos meus amigos." (27 de Dezembro de 2015) Susana Vera/Reuters,Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Num bar (5 de Fevereiro de 2016)
Num bar (5 de Fevereiro de 2016) Susana Vera/Reuters
Fotogaleria
Susana Vera/Reuters

Espanha encontra-se relativamente avançada no que toca aos direitos LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgénero), mas, ainda assim, as autoridades exigem um diagnóstico médico antes de permitir a mudança de género nos documentos oficiais, já que a transexualidade é classificada como uma doença mental. "Não levei a mal, ser diagnosticado como 'mentalmente doente'", diz Gabriel. "Mas sinto-me revoltado por ter que fazer o diagnóstico para poder alterar documentos, fazer tratamento hormonal ou uma cirurgia."

A Organização Mundial de Saúde determinou em Junho que ser transexual não deveria ser classificado como um transtorno mental — a transexualidade é agora considerada como uma “incongruência de género”, uma condição relacionada à saúde sexual. Em Portugal, com a nova lei de identidade de género, para mudar o sexo e o nome no registo civil só os jovens "trans" entre os 16 e os 18 anos é que têm apresentar um atestado de um psicólogo ou médico que confirme a vontade, sem a carga patológica da disforia de género.

Gabriel iniciou aos 17 anos os primeiros tratamentos hormonais para desenvolver características secundárias — a sua voz ficou mais grave, ganhou mais pêlo, a gordura corporal ficou distribuída de outra forma. Depois fez também uma cirurgia de remoção de peito. "Foi uma grande mudança na minha vida", sublinha Gabriel. "É uma grande libertação".

PÚBLICO - Gabriel com a mãe, Mariely, e do cirurgião, Jesus Lago, após a cirurgia em Novembro de 2016
Gabriel com a mãe, Mariely, e do cirurgião, Jesus Lago, após a cirurgia em Novembro de 2016 Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Gabriel durante a cirurgia de remoção do peito a 26 de Outubro de 2016
Gabriel durante a cirurgia de remoção do peito a 26 de Outubro de 2016 Susana Vera/Reuters
PÚBLICO - Gabriel durante a cirurgia de remoção do peito a 26 de Outubro de 2016
Gabriel durante a cirurgia de remoção do peito a 26 de Outubro de 2016 Susana Vera/Reuters,Susana Vera/Reuters
Fotogaleria
Susana Vera/Reuters

Hoje em dia, já é socialmente aceite como homem, embora tenha sido rejeitado por algumas pessoas. Um amigo de infância disse que não o considerava um homem porque Gabriel não tinha pénis.

Actualmente, o jovem tem namorada e sente-se orgulhoso da sua identidade. Participou inclusive numa campanha de sensibilização da Câmara Municipal de Madrid para a prevenção de crimes de ódio contra transgénero — o seu rosto pôde ser visto numa série de cartazes colocados ao longo da rede de metro da cidade com a frase Soy trans ("Sou trans"). Porque é preciso informar e sensibilizar: "O ódio e a intolerância dos outros são resultado da ignorância das pessoas sobre os transexuais."

PÚBLICO -
Foto
"Após a campanha alguns tipos começaram a escrever comentários de ódio no meu Instagram", diz Gabriel. Fez queixa e hoje estão à espera de julgamento. (1 de Julho de 2016) Susana Vera/Reuters

Tradução de Raquel Grilo