Priyanka Gandhi faz a sua entrada oficial na política da Índia

Há muito que o Partido do Congresso pressionava a neta de Indira, considerada mais carismática do que o irmão, Rahul. Vai disputar o estado crucial de Uttar Pradesh nas legislativas de Maio.

Priyanka Gandhi
Foto
Priyanka Gandhi Pawan Kumar/Reuters

Priyanka Gandhi, a carismática irmã do líder do Partido do Congresso, Rahul Gandhi, entrou oficialmente para a política ao ser eleita secretária-geral da formação na oposição pelo estado crucial de Uttar Pradesh, uma decisão que visa a disputa das eleições legislativas de Maio.

Considerada uma melhor comunicadora do que o irmão, Priyanka Gandhi participou em campanhas anteriores ao lado de Rahul e da mãe, Sonia Gandhi, mas recusou até agora ter um papel oficial na política.

Segundo os analistas ouvidos pela BBC, a sua entrada vai imprimir maior dinamismo à campanha do partido que foi derrotado em 2014 pelos nacionalistas hindus do Bharatiya Janata Party, do primeiro-ministro Narendra Modi.

Há anos que vários sectores do partido pediam a entrada de Priyanka Gandhi, de 47 anos, na política activa.

E o anúncio foi recebido com entusiasmo. Entre as bases há quem a considere a verdadeira sucessora da avó, Indira Gandhi —​ filha do primeiro chefe de Governo da Índia, Jawaharlal Nehru —, que foi assassinada em 1984.

O pai de Priyanka, Rajiv Gandhi, também foi primeiro-ministro da Índia e também foi assassinado, em 1991.