Emiliano Sala continua desaparecido após dois dias de buscas

Autoridades voltam a suspender as buscas pela segunda noite. Avião que transportava o atleta desapareceu dos radares na noite de segunda-feira.

Foto
Avião onde seguia jogador desapareceu na noite de segunda-feira Reuters/STEPHANE MAHE

As autoridades britânicas decidiram esta noite de quarta-feira voltar a suspender as buscas para encontrar o avião onde seguia o jogador argentino Emiliano Sala, desaparecido desde segunda-feira. O avião, que fazia a viagem entre França e Cardiff, no País de Gales, deixou de comunicar com os controladores aéreos quando atravessava o Canal da Mancha.

A Polícia de Guernsey, numa publicação feita na rede social Twitter, explicou que as operações tinham sido interrompidas, reforçando, numa publicação posterior, que a decisão sobre se as buscas serão retomadas será tomada na manhã de quinta-feira. “Depois de buscas intensivas com recurso a várias aeronaves e um barco salva-vidas, não encontramos vestígios do avião desaparecido. Agora, com a luz a desaparecer, a busca será suspensa durante a noite”, pode ler-se no post.

No decorrer das buscas, as autoridades colocam quatro cenários em cima da mesa: que o avião terá aterrado em terra, mas que os ocupantes ainda não conseguiram fazer contacto; que o avião amarou, e que os ocupantes foram recolhidos por um navio; que o avião amarou, e que os ocupantes estão a bordo de uma balsa salva-vidas; ou que o avião se desintegrou ao cair na água.  

Entretanto foram divulgadas aquelas que podem ter sido as últimas palavras de Sala. O antigo avançado argentino do FC Nantes comunicou com os amigos, numa mensagem de áudio partilhada através do WhatsApp, quando já estava a bordo do avião que havia de desaparecer. No áudio, Sala demonstra preocupação com o estado do avião que, garante, parecia “estar a cair aos bocados”.

“Estou aqui no avião, que parece que está a cair aos bocados. Se numa hora e meia não tiverem novidades minhas, não sei se vão enviar alguém para me procurar por que não me encontram, mas já sabem. Que medo que tenho!”, afirmou o atleta.