Kamala Harris entra na corrida para as presidenciais norte-americanas

A senadora democrata foi a primeira mulher a ocupar o lugar de procuradora-geral da Califórnia e é uma das mais destacadas críticas das políticas de imigração de Donald Trump.

Foto
Reuters/JOSHUA ROBERTS

A senadora democrata Kamala Harris anunciou esta segunda-feira a intenção de concorrer ao lugar de candidata do Partido Democrata nas eleições presidenciais dos EUA em 2020. 

Kamala Harris, de 54 anos, filha de imigrantes da Jamaica e da Índia, foi a primeira mulher a ocupar o lugar de procuradora-geral da Califórnia. A senadora é descrita como uma estrela em ascensão dentro do partido e uma das mais destacadas críticas das políticas de imigração do Presidente Donald Trump.

A ex-procuradora entra na corrida com o trunfo de poder vir a ser a candidata democrata que mais se parece com uma base eleitoral democrata cada vez mais diversificada: jovem, mulher e membro de uma minoria.

"Este é o momento em que sinto a responsabilidade de me levantar e lutar pelo melhor de quem somos", disse Harris no programa Good Morning America, da ABC, ao anunciar sua candidatura.

Harris fez história em 2016 como a primeira mulher afro-americana eleita para o Senado dos EUA da Califórnia. Tornou-se popular junto da esquerda norte-americana pelas suas críticas aos nomeados de Trump para altos cargos da justiça dos EUA, incluindo Brett Kavanaugh, juiz do Supremo Tribunal, e o ex-procurador-geral Jeff Sessions, durante as audiências no Senado.

A candidata afirma que a sua campanha focar-se-à em questões como o custo de vida, as políticas de imigração, a justiça criminal e o sistema de saúde norte-americano. A senadora tem apelado a um acordo para proteger da deportação os imigrantes que foram trazidos para o país ilegalmente quando crianças, um grupo conhecido como Sonhadores.

Sob o slogan "para o povo", Harris anunciou a sua candidatura no dia em que os norte-americanos homenageiam Martin Luther King, activista dos direitos civis. O nome de Kamala Harris junta-se aos das senadoras Elizabeth Warren e Kirsten Gillibrand, bem como ao do ex-secretário da Habitação Julián Castro, na corrida dos democratas para uma candidatura presidencial em 2020. No campo republicano, Trump já há muito anunciou a sua intenção de concorrer à reeleição.