Sonae abre hotel na estação de Stª Apolónia em 2021

Concessão do futuro hotel de quatro estrelas com 120 quartos em Lisboa foi ganha pela House Ribeira, do grupo Sonae. Investimento é de 12 milhões.

Foto
Concurso foi lançado em 2017 Nuno Ferreira Santos

A Sonae vai abrir um hotel de quatro estrelas com cerca de 120 quartos na estação de comboios de Santa Apolónia no primeiro semestre de 2021. De acordo com o grupo (dono do PÚBLICO), que ganhou o concurso de subconcessão para a instalação e exploração de um hotel na estação ferroviária de Lisboa lançado pela Infra-estruturas de Portugal (IP), o investimento será da ordem dos 12 milhões de euros.

O valor em causa será necessário para reabilitar e adaptar o edifício da estação, inaugurada em 1865 (nove anos após a primeira viagem de comboio em Portugal). O projecto implica a adaptação das partes sul e poente do edifício, especifica a empresa, numa área da ordem dos 9000 metros quadrados.

A concessão, à qual o grupo Sonae concorreu através da The House Ribeira, empresa hoteleira da Sonae Capital, terá a duração de 35 anos.

“Esta oportunidade enquadra-se na estratégia de aumento do número de unidades em exploração do negócio de hotelaria da Sonae Capital, permitindo desenvolver efeitos de rede na operação”, afirmou a empresa em comunicado.

“Ao mesmo tempo”, acrescenta, esta nova unidade “permitirá à Sonae Capital iniciar a sua presença na cidade de Lisboa, o maior destino turístico de Portugal, através de uma operação localizada numa zona central e de elevado potencial”, numa conjuntura de crescimento do turismo, de lazer e de negócios (por via de eventos como a Web Summit). A estação ferroviária está localizada ao lado do rio Tejo, perto do novo terminal de cruzeiros de Lisboa.

Nos primeiros onze meses de 2018, as unidades hoteleiras da Área Metropolitana de Lisboa (AML) receberam 5,8 milhões de hóspedes, mais 1,6% face a idêntico período de 2017, de acordo com os dados da actividade turística do INE. Ao nível dos proveitos totais estes subiram 19% na AML, para os 1084 milhões de euros.

Actualmente, de acordo com os dados da empresa, a Sonae Capital conta com cinco unidades hoteleiras em exploração, das quais três no Porto (Porto Palácio Hotel, The House Ribeira Hotel,e The Artist Porto Hotel & Bistro) e outras duas em Tróia (Aqualuz Tróia e Tróia Residence).

O negócio será formalizado, no máximo, dentro de 30 dias, com a celebração do respectivo contrato entre a empresa estatal que gere as infra-estruturas ferroviárias e rodoviárias (herdeira da Refer e da Estradas de Portugal) e a Sonae.

No passado mês de Outubro o Dinheiro Vivo já tinha noticiado que a Sonae tinha ganho a concessão do hotel em Santa Apolónia. Só hoje, no entanto, é que a IP comunicou oficialmente que o vencedor foi a Sonae.

Em Outubro, o presidente da Sonae Capital, Miguel Gil Mata, afirmou ao Dinheiro Vivo que havia ainda “um conjunto de obstáculos” a ultrapassar até se poder afirmar que o investimento era mesmo para avançar.

Pelo caminho ficaram vários outros concorrentes, tendo-se apresentado, além da Sonae, o grupo Pestana, Visabeira, Barceló, Hoti-Star, SGEHR (ligado ao grupo NAU), Turilima e Servinoga (ligados ao grupo Axis), Empreendimentos Hoteleiros Quinta do Ferro (ligados ao grupo VIP) e a empresa Excover.

Sugerir correcção