FC Porto sobre a detenção do hacker: "E-mails chegaram sem qualquer contrapartida"

"Dragões" emitiram comunicado em que invocam o "pleno direito de informar" para divulgar o conteúdo dos e-mails.

Foto
Paulo Pimenta

O FC Porto reagiu nesta quinta-feira à detenção de um hacker português na Hungria, sob suspeita de ter roubado informação confidencial. Em comunicado, os "dragões" garantem que não houve "contrapartida financeira" pelo acervo de e-mails que chegaram ao conhecimento do seu director de comunicação e que foram sendo divulgados no Porto Canal.

"O nosso director de Informação e Comunicação teve conhecimento de um volumoso conjunto de e-mails, alguns importantes na sua substância por indiciarem práticas irregulares e eventualmente criminosas no plano da verdade desportiva no futebol profissional", explicam os responsáveis "azuis e brancos".

E prosseguem: "O teor de alguns desses e-mails foram divulgados no Porto Canal no exercício pleno do direito a informar e ser informado, ponderados todos os prós e contras face à delicadeza da matéria de fundo que apontava para eventuais práticas de tráfico de influência e corrupção".

Depois de o Benfica ter, na manhã desta quinta-feira, manifestado em comunicado a convicção de que "cibercrime altamente sofisticado, implicando tanto tempo e recursos, nunca seria feito de forma graciosa", o FC Porto também deixa um esclarecimento a esse respeito: "Todo o acervo de e-mails que chegaram ao nosso director de Informação e Comunicação, sem qualquer contrapartida financeira ou outra, foram entregues à Polícia Judiciária em simultâneo com o processo de denúncia pública", escrevem os "dragões", traduzindo a esperança "de que seja feita justiça nos processos em curso envolvendo atentados à verdade desportiva".