Casa Pia recorre das sanções aplicadas pela FPF no caso Rúben Amorim

O clube lisboeta já reportou a situação ao Tribunal Arbitral do Desporto, na tentativa de suspender as penas que o Conselho de Disciplina da federação quer impor-lhe.

Jogadores do Casa Pia
Foto
Jogadores do Casa Pia Miguel Madeira

O presidente do Casa Pia Atlético Clube, Victor Franco, divulgou um novo comunicado esta quinta-feira no qual diz que o emblema vai recorrer da decisão do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), apresentando uma providência cautelar junto do Tribunal Arbitral do Desporto (TAD), de forma a suspender a execução das sanções aplicadas” pela federação.

Em causa está o castigo determinado na sexta-feira passada pelo Conselho de Disciplina da FPF, que decidiu multar o Casa Pia em 14 mil euros, aplicar-lhe duas derrotas em outros tantos jogos do Campeonato de Portugal (terceiro escalão do futebol português) e impor a realização de cinco encontros à porta fechada porque o treinador estagiário e ex-internacional português Rúben Amorim, terá desempenhado funções como técnico principal em dois jogos dos “gansos”.

Ora, enquanto “treinador estagiário” do Casa Pia, o antigo jogador de Benfica, Sp. Braga e Belenenses estava impedido, de dar indicações para o campo, tendo por isso sido também castigado com uma suspensão de três meses, 2600 euros de multa e inibição de ser inscrito como treinador durante um ano.

No documento revelado nesta quinta-feira, o clube lisboeta afirma que o treinador principal, José Reis, e Rúben Amorim “não se conformam” com o acórdão do Conselho de Disciplina da FPF e aguardam a decisão do TAD “com serenidade” e “confiança no sentido de Justiça” deste organismo. Com esta acção, o Casa Pia espera conseguir a suspensão da totalidade das punições enquanto não houver uma sentença definitiva, permitindo dessa forma que os treinadores possam sentar-se no banco da equipa e que os próximos encontros não sejam à porta fechada.

Rúben Amorim tem apenas o nível I do curso de treinador, insuficiente para ser técnico principal de uma equipa do Campeonato de Portugal segundo os regulamentos da FPF - tem de ter o nível II.

O caso surgiu após uma queixa feita pela Associação Nacional de Treinadores de Futebol (ANTF) junto da FPF, que reuniu um conjunto de provas nas quais denunciava o facto de o ex-jogador ter dado indicações ao plantel principal do Casa Pia em vários jogos desta temporada durante os meses de Agosto, Setembro e Outubro.

Os jogadores do clube de Pina Manique também já reagiram a esta polémica, endereçando uma carta aberta ao presidente da FPF, Fernando Gomes. No documento salientam a consequências gravosas que a multa de 14 mil euros pode trazer à estrutura do Casa Pia. Além disso, destacam que há problemas mais graves a acontecer nos escalões de futebol profissional, nomeadamente na I e II Liga.

O Casa Pia ocupa, neste momento, o quarto lugar da série D do Campeonato de Portugal, terceiro escalão do futebol nacional, estando a nove pontos do primeiro – Praiense - e a dois do segundo classificado Oriental. O próximo jogo será no domingo, às 15h, frente ao Louletano, no Estádio Pina Manique.