Torne-se perito

Estado admite abandonar projecto dos KC-390 caso Embraer não baixe o preço

Chefe do Estado-Maior da Força Aérea afirma que a negociação "não está fácil" e que a Embraer "está a pedir muito mais do que razoavelmente" o Governo esperaria.

Foto
LUSA/PAULO NOVAIS

O chefe do Estado-Maior da Força Aérea (CEMFA), general Manuel Rolo, revelou hoje que o Estado português admite abandonar o projecto de aquisição de aviões KC-390 caso a Embraer não baixe os valores pedidos.

"O Estado não quer ver ultrapassado para além deste montante [cerca de 830 ME], estamos numa negociação férrea e começa a prevalecer a opinião de que, se a Embraer não vier para este valor, o Estado português terá de ir para outras opções", afirmou o general Manuel Rolo no Parlamento.

O CEMFA está a ser ouvido na comissão parlamentar de Defesa Nacional sobre a proposta de Lei de Programação Militar, que prevê investimentos de 4,74 mil milhões de euros até 2030.

O valor previsto para o projecto de aquisição de aviões de transporte táctico na proposta de Lei de Programação Militar (LPM) é de 827 milhões de euros no espaço de doze anos.

O general adiantou que a negociação "não está fácil" e que a Embraer "está a pedir muito mais do que razoavelmente" o Governo esperaria.

Segundo o general, está em cima da mesa e "esse é também o sentimento do ministro da Defesa Nacional [João Gomes Cravinho]", fazer "sentir à Embraer que podem ser pensadas outras opções".

Sugerir correcção