A instalação
Foto
A instalação Max Siedentopf

Africa, de Toto, vai tocar no deserto da Namíbia “para sempre”

Uma instalação artística, composta por seis colunas, dispostas em círculo, com um mp3 ao centro, tem apenas uma música a tocar repetidamente: Africa, de Toto.

Africa, a canção dos Toto, hit desde que foi lançada, em 1982, está a tocar para todo o sempre no meio de um deserto na Namíbia, no continente que lhe dá nome.

A instalação artística, da autoria de Max Siedentopf, um artista multimédia germano-namibiano, chama-se, convenientemente, Toto Forever. Trata-se de um conjunto de seis colunas, dispostas em círculo no topo de seis pilares brancos, com um mp3 ao centro – que tem apenas uma música a tocar repetidamente.

“O deserto da Namíbia – que é, com os seus 55 milhões de anos, o mais velho do mundo – pareceu-me o local ideal para isto”, disse o artista à CNN. “Espero que a música toque tanto tempo.”

A instalação funciona a baterias solares, que vão garantir que a música toca “para sempre”. Mas Siedentopf não é ingénuo o suficiente para achar que isso vai mesmo acontecer. “A maior parte [dos materiais] da instalação foram escolhidos para serem tão duráveis quanto possível, mas tenho a certeza que o ambiente árido do deserto vai devorá-la rapidamente”, disse à BBC.

A instalação foi colocada no final de Dezembro, enquanto o artista estava a passar férias com a família na Namíbia. Siedentopf não revelou a localização. E não tenciona revelar: será “um tesouro que apenas os fãs mais leais de Toto vão conseguir descobrir”.

Para os intrépidos que vão tentar encontrá-la, o artista deixou um mapa no seu site onde assinala apenas a costa da Namíbia – que se estende por quase 500 quilómetros.

“Ainda que Africa tenha sido lançada em 1982, ainda está muito presente na cultura pop da actualidade, é frequentemente usada em memes e até tem páginas inteiras dedicadas a ela no Reddit”, disse o artista à CNN. “Deixou-me muito intrigado e eu queria prestar-lhe uma última homenagem e exibir Africa em África.”

A música resistiu ao teste do tempo, apesar de algumas incorrecções geográficas: “Tal como o Kilimanjaro se ergue como o Olimpo sobre o Serengeti” (“As sure as Kilimanjaro rises like Olympus above the Serengeti”, no original), uma parte da letra da música, não é verdade, tal como têm apontado vários fãs ao longo das últimas décadas. O Kilimanjaro é a montanha mais alta do continente africano, portanto a comparação com o Olimpo não é totalmente descabida, mas não se ergue sobre o Serengeti​, que nem é uma montanha (mas sim um ecossistema) e fica a 400 quilómetros do vulcão.

A canção ficou cravada na cultura pop mais recente. Será uma das músicas com mais versões incomuns: os vídeos no YouTube mostram-na a ser tocada com batatas-doces e portáteis estragados. Há ainda uma conta no Twitter que publica excertos da música desde 2016.