Hugo Soares sairá "pelo próprio pé", mas avisa Rio que "há regras" na escolha de deputados

O deputado e ex-presidente da bancada diz que sairá "pelo próprio pé" das listas, se Montenegro perder a guerra interna, mas deixa o recado a Rui Rio que parte das listas são escolhidas pelas bases do partido.

Foto
Hugo Soares Daniel Rocha

Hugo Soares abre o livro, tece duras críticas à actual direcção do partido e deixa vários recados a Rui Rio numa entrevista publicada esta terça-feira na TSF. O deputado abdica do lugar de deputado se Luís Montenegro perder esta contenda contra Rui Rio, mas nem por isso deixa de avisar a direcção do partido para o facto de o PSD ter regras de escolha de deputados e de não poder ser Rio a escolher "cada um" dos representantes no Parlamento.

"O partido tem regras e as regras são para se respeitar. As listas de candidatura às eleições europeias e às legislativas têm sempre uma intervenção das concelhias e das distritais. O que se quer é que este presidente do partido escolha cada uma e cada um dos candidatos às próximas eleições? Vai inverter toda a história do partido e é ele que vai escolher um a um, os candidatos a deputados?", questiona na entrevista.

Hugo Soares recorda que Luís Montenegro renunciou ao lugar de deputado pouco depois de Rui Rio ter sido eleito e que, por isso, as críticas ao facto de os opositores da direcção estarem preocupados por causa dos lugares nas listas não se coloca. Mais, disse o deputado que ele próprio abdica de um lugar nas listas às legislativas se Luís Montenegro perder esta disputa com Rio. "Estou muito à vontade para dizer que o Dr. Rui Rio não tem de fazer de mim nenhum Cristo da política portuguesa. Sairei pelo meu próprio pé das listas, não sendo candidato novamente", disse.

Num plano mais imediato, Hugo Soares critica a hora a que foi marcado o Conselho Nacional do PSD (para quinta-feira, às 17h, no Porto) para votar a moção de confiança, altura em que em Lisboa decorre uma sessão plenária na Assembleia da República e que acontece um Conselho de Estado.

Lembrando que vários deputados são conselheiros do PSD com direito a voto e que os deputados têm lugar naquele órgão por inerência (apesar de não terem direito a voto), o antigo líder parlamentar diz que se trata de "um total desrespeito pelos deputados eleitos pelo PSD" na Assembleia da República. "Com a escolha desta hora, o Dr. Rui Rio impossibilita os deputados de participarem num Conselho Nacional decisivo para o futuro do PSD nos próximos anos", acrescenta.

Além disso, o deputado defende que a votação da moção de confiança deveria ser por voto secreto. "Nem percebo essa questão que está agora a acontecer no espaço público. Não pode ser de outra maneira. As pessoas têm que ser livres de expressarem pelo voto, de forma transparente, democrática e confidencial aquilo que entendem sobre o partido", disse.

O deputado justifica a actuação de Luís Montenegro nesta altura dizendo preto no branco que "o PSD, neste momento, tornou-se irrelevante do ponto de vista político" e que isso é demonstrado pelas sondagens. Hugo Soares deixa claro, aliás, que se fosse Montenegro líder do partido, o PSD não estaria em mínimos históricos. E acredita que Montenegro tem hipóteses numas eleições legislativas contra António Costa: "Creio que havendo uma mudança de liderança no PSD, há sempre condições porque é por isso que nos batemos: ganhar as eleições ao Dr. António Costa. Há uma coisa que eu sei: é que com Luís Montenegro tenho sérias dúvidas que tivéssemos neste momento 23 ou 24 % nos estudos de opinião", diz.

Como remate final, e aproveitando um elogio para fazer uma crítica ao líder, Hugo Soares acaba por reconhecer que Rio fez um bom discurso no sábado, quando respondeu a Montenegro com a decisão de avançar com uma moção de confiança. "Se o discurso que o Dr. Rui Rio proferiu contra Luís Montenegro, se o tivesse feito contra o Dr. António Costa, tenho a certeza absoluta de que não estaríamos aqui hoje a ter esta conversa".