"Chovem" aranhas no Brasil

Tempo quente e húmido no estado brasileiro de Minas Gerais multiplicou o número de exemplares de parawixia bistriata, uma aranha cujas teias gigantes e praticamente invisíveis geram a ilusão de uma chuva de aracnídeos.

Foto
REUTERS

O Verão quente e húmido que se faz sentir no sudeste brasileiro está na origem de uma fenómeno descrito como uma "chuva de aranhas" que foi filmado por vários moradores e partilhado nas redes sociais.

João Fonseca foi um dos autores de um dos vídeos com mais partilhas. Segundo a imprensa local, o jovem viajava de automóvel no estado de Minas Gerais quando notou que o céu estava ''coberto de pontos negros". Outros moradores que partilharam vídeos dizem ter assistido a fenómenos semelhantes quando o clima está mais quente e húmido, e que este acontecimento já é característico da região. 

Segundo Adalberto dos Santos, especialista em aracnologia da Universidade Federal de Minas Gerais citado pelo jornal britânico The Guardian, as aranhas não estão a cair do céu, mas antes encontram-se suspensas numa teia gigante. Trata-se de exemplares de parawixia bistriata, uma espécie de aranha gregária que constrói as suas teias em locais elevados como postes de electricidade.

A teia, que pode ter até quatro metros de largura, costuma ser de tal forma fina que se torna praticamente invisível ao olho humano, criando a ilusão de que as aranhas flutuam no ar. 

Apesar do fenómeno poder assustar, o académico garante que a parawixia bistriana não é perigosa para o ser humano, e que a sua observação em grande número resulta do tempo quente e húmido.