Scúru Fitchádu, Fogo Fogo e outros projectos portugueses no Eurosonic, a pensar na exportação

Representação nacional no festival, que se realiza de 16 a 19 de Janeiro em Groningen, na Holanda, inclui ainda O Gajo, Keep Razors Sharp, Whales e Diron Animal.

Foto
Scúru Fitchádu DR

Depois de ter sido o país em destaque em 2017 no festival Eurosonic, montra privilegiada para a música europeia, Portugal continua a marcar presença num dos maiores eventos e feiras do género a nível global, com seis artistas nacionais confirmados na edição 2019 do festival, que tem lugar em Groningen, na Holanda, de 16 a 19 de Janeiro.

São eles Fogo Fogo, O Gajo, Keep Razors Sharp, Scúru Fitchádu, Whales e Diron Animal, que depois de ser obrigado a cancelar a actuação do ano passado devido ao mau tempo foi novamente convidado pela organização.

No âmbito da integração da plataforma WHY Portugal em duas redes europeias de gabinetes de exportação de música, o European Music Export Exchange e a rede European Talent Exchange Programme (ETEP), fica garantido que todos os anos sejam convidados, pelo menos, três projectos portugueses para o Eurosonic, ficando a selecção final dos projectos a cargo do programador do evento, Robert Meijerink, e da sua equipa. Em 2019 essa presença é reforçada, já que são seis os nomes já confirmados.

Segundo o Why Portugal, a rede ETEP é especialmente importante para os artistas que têm oportunidade de se apresentar no festival, já que o facto de tocarem ao vivo para uma audiência de profissionais e o contacto directo que podem ter com os mesmos facilita o agenciamento em festivais europeus em cooperação com a European Broadcasting Union, os gabinetes de exportação e os meios de comunicação.