Descida de temperaturas e vento forte vão aumentar sensação de frio

IPMA prevê aumento do desconforto térmico entre quinta-feira e sábado, devido à intensificação do vento de leste. Todos os distritos estão sob aviso amarelo.

Foto
PÚBLICO

As temperaturas mínimas vão descer entre 5 a 8 graus Celsius na madrugada de quinta-feira no interior norte e centro, especialmente nas terras altas da Beira Alta. Além da descida das temperaturas, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê um aumento do desconforto térmico até sábado, devido à intensificação do vento do quadrante leste, sobretudo nas terras altas. Prevê-se formação de geada a chegar junto ao litoral.

Por causa do frio, o distrito de Bragança vai estar sob aviso meteorológico amarelo entre as 0h de quinta-feira, um cenário que se repete nos restantes distritos do continente a partir das 0h de sexta-feira. Todos os avisos estão em vigor até às 12h de sábado. Segundo informação disponibilizada pelo IPMA, a persistência de valores baixos da temperatura mínima justifica a activação deste alerta, o menos grave e que corresponde a uma situação de risco para determinadas actividades dependentes da situação meteorológica.

“A partir da madrugada de dia 10, prevê-se a substituição gradual de uma massa de ar polar por uma massa de ar com características de ar árctico sobre Portugal continental, transportada do interior do continente europeu”, informa o IPMA em comunicado.

“Como consequência, a temperatura mínima deverá descer no dia 10 no interior norte e centro, especialmente na Beira Alta, onde nas terras altas as descidas poderão ser da ordem de 5 a 8 graus Celsius. Assim, os valores da temperatura mínima deverão variar genericamente entre 2 e 6 graus, sendo inferiores no interior norte e centro, onde variarão aproximadamente entre -4 e 1 graus”, acrescenta.

Na sexta-feira, a descida vai estender-se ao restante território (com descidas da ordem de 2 a 4 graus), mantendo-se os valores baixos pelo menos até sábado.

O IPMA prevê também uma descida dos valores da temperatura máxima na quinta-feira no interior norte e centro e na sexta-feira em todo o território. Na sexta-feira, a temperatura máxima deverá variar aproximadamente entre 10 e 14 graus.

Noites frias, dias quentes

“Nos primeiros dias de Janeiro, o valor médio da temperatura máxima do ar em Portugal Continental foi de 14,9 graus (anomalia em relação ao valor médio mensal de 1,8 graus) e o valor médio da temperatura mínima do ar de 1,2 graus, cerca de -3 graus em relação ao valor médio.” O instituto refere que, “desde o início de Janeiro, têm-se verificado noites frias”, com “valores da temperatura mínima do ar inferiores aos valores médios e mesmo inferiores aos valores que só ocorrem em 10% dos casos”. Por outro lado, o IPMA realça também a “ocorrência de dias quentes” com “valores de temperatura máxima superiores aos valores médios e mesmo superiores aos valores que só ocorrem em 10% dos casos”. 

De 1 a 9 de Janeiro, em cerca de 50% das estações registaram-se valores de temperatura mínima inferior a 0 graus, consecutivamente em algumas regiões do Norte e centro.

Os menores valores da temperatura mínima, 7 graus negativos, registaram-se nos dias 5 e 6 de Janeiro, em Miranda do Douro e Chaves, respectivamente.

Por outro lado, os maiores valores da temperatura máxima registaram-se a 2 de Janeiro em Rio Maior (20,8 graus) e no dia 1 em Braga (20,5 graus).

Por enquanto, apesar das temperaturas baixas, o IPMA explica ao PÚBLICO que ainda não é caso para falar numa onda frio. “Entre os dias 5 e 8 de Janeiro, houve estações com anomalias de temperatura mínima inferiores a 5 graus negativos — ocorre onda de frio com pelo menos seis dias consecutivos de verificação deste critério —, com a previsão de valores equivalentes entre 11 e 13 de Janeiro na região Sul." Entre 9 e 10 de Janeiro, quebra-se esta sequência, "não perfazendo os seis dias necessários para confirmar a existência uma onda de frio”, detalha o instituto. com Lusa e Rita Marques Costa