Crónica

Começou agora do Dakar

Depois de dois dias bastante pacíficos, começou, na 3.ª etapa, o verdadeiro Dakar. Até o nevoeiro entrou em cena para agravar ainda mais as dificuldades que já se anteviam enormes. De fora da luta pela vitória, ou até mesmo fora da corrida, estão já pilotos como Joan Barreda, Carlos Sainz ou Ginniel de Villiers. Todos eles ostentavam à partida uma elevada dose de favoritismo.

Em contrapartida, e depois da hecatombe no ano passado, todos os portugueses se mantêm em prova, incluindo os dois pilotos de moto que participam sem qualquer tipo de assistência. Fora estes, os restantes sete das motos estão todos no primeiro terço da classificação, capitaneados por um Paulo Gonçalves que, conforme se esperava, já reentrou nas contas.

Tal como tenho vindo a referir, os nossos estreantes estão a portar-se muito bem. Nesta 3.ª etapa, quero destacar a prestação do Miguel Jordão, cuja regularidade já lhe permite ocupar um excelente sétimo lugar absoluto na categoria SSV, liderando a classificação dos rookies.

Segue-se uma etapa-maratona, que seguramente irá complicar tudo muito mais ainda, antes do dia de descanso. Estou com muita curiosidade de ver o que nos reservam estes próximos dois dias, sendo que o derradeiro dia antes da paragem terá uma partida em linha, ou seja, ganha mesmo quem chegar primeiro. Uma coisa é para já certa: as diferenças entre os primeiros de todas as categorias são relativamente curtas, pelo que está tudo em aberto.