Presidente da Câmara da Feira contra iniciativa para destituir Rui Rio

Emídio Sousa apela à união em torno do líder do PSD. “Tem de se ter a lucidez de estar ao lado do líder eleito”, defende.

Emídio Sousa admite haver "ruído" no PSD
Foto
Emídio Sousa admite haver "ruído" no PSD Manuel Roberto

O social-democrata Emídio Sousa, presidente da Câmara de Santa Maria da Feira, considera que a movimentação de distritais para destituir Rui Rio “não faz sentido” a poucos meses de eleições. 

“Estar a discutir a liderança é um erro crasso neste momento”, disse ao PÚBLICO Emídio Sousa, que também lidera a concelhia do PSD de Santa Maria da Feira, uma das maiores do distrito de Aveiro. Vários representantes de distritais do PSD estiveram numa reunião secreta para avaliarem a possibilidade de convocar um conselho nacional extraordinário para destituir a direcção de Rui Rio como escreveu esta terça-feira o PÚBLICO.

Emídio Sousa lembra que não foi apoiante de Rui Rio nas eleições directas do partido, tendo escolhido ficar ao lado de Pedro Santana Lopes, mas defende que “não faz sentido haver este movimento” num ano que há europeias, legislativas e regionais na Madeira.

Questionado sobre se sente insatisfação no partido, Emídio Sousa admitiu haver "ruído" e "sobretudo preocupação" porque as “notícias não são muito animadoras”. Mas o autarca apela à união em torno de Rui Rio: “Tem de se ter a lucidez de estar ao lado do líder eleito”. 

Em Setembro, Emídio Sousa apelava ao líder a que começasse a falar para o país. “Rui Rio é uma pessoa inteligente (…), é um general, mas não há general nenhum que vença uma guerra sem tropas”, dizia, aconselhando o ex-autarca do Porto a deixar de falar das questões internas e a focar-se no país. “De uma vez por todas, Rui Rio tem de começar a falar do país e para o país”.