Torne-se perito

Inéditos de Agostinho da Silva e um novo romance de Sérgio Godinho entre as novidades da Quetzal

Um volume de inéditos e textos esquecidos de Agostinho da Silva, com organização de Helena Briosa e Mota, e o novo romance de Sérgio Godinho intitulado Estocolmo serão publicados este ano.

Foto
Sérgio Godinho EVR ENRIC VIVES-RUBIO

 Um volume de inéditos e textos esquecidos de Agostinho da Silva, a publicação, pela primeira vez em Portugal, de uma obra de Margaret Drabble e um novo romance de Sérgio Godinho são algumas das novidades editoriais da Quetzal.

A autora britânica Margaret Drabble vem este mês a Portugal para a apresentação do romance Sobe a Maré Negra, numa tradução de Telma Costa, que está disponível nas livrarias a partir do próximo dia 11, anunciou a editora.

Sobe a Maré Negra é "uma meditação inspiradora sobre a morte e a arte de bem envelhecer", segundo a Quetzal.

Margaret Drabble chega a Portugal com uma carreira literária de 50 anos, 20 romances publicados, além de biografias, ensaios, contos e argumentos para cinema.

Em 2012, a autora de 79 anos, recebeu o Prémio Golden Pen pelo "notável serviço de uma vida dedicada à literatura", e foi condecorada pela rainha Isabel II, em 2008.

A editora do grupo Bertrand/Círculo conta este ano reeditar a antologia 366 Poemas Que Falam de Amor, organizada por Vasco Graça Moura, um novo romance de Sérgio Godinho, intitulado Estocolmo, e um volume de inéditos e textos esquecidos de Agostinho da Silva, com organização de Helena Briosa e Mota.

Em Janeiro assinala-se "uma reedição há muito aguardada", a da antologia 366 Poemas Que Falam de Amor, organizada por Vasco Graça Moura (1942-2014), que reúne mais de uma centena de poetas, portugueses e estrangeiros, que escreveram sobre amor, sendo estes traduzidos pelo próprio organizador.

"De Vasco Graça Moura, a Quetzal lançará ainda, depois das suas versões de Dante, Petrarca ou Rilke, uma tradução de [Federico García] Lorca e iniciará a reedição de títulos há muito esgotados", adianta a editora.

Em Fevereiro, são publicados dois romances de autores portugueses, A Imortal da Graça, de Filipe Homem Fonseca, e Estocolmo, de Sérgio Godinho.

A narrativa d' A Imortal da Graça tem como cenário uma "Lisboa contemporânea, cercada de turistas, cheia de episódios burlescos e românticos passados num bairro em transformação".

Por seu lado, a obra de Sérgio Godinho é "uma história de paixão, obsessão e transfiguração amorosas, através de um triângulo cujos vértices são um homem que aluga um quarto no sótão, uma bela pivô que apresenta o telejornal e a mãe desta".

Nas previsões editorais da Quetzal, para Fevereiro, está uma antologia da poesia de João Luís Barreto Guimarães, O Tempo Avança por Sílabas, que assinala os seus 30 anos de vida literária, e a publicação de um título que reúne contos e pequenas narrativas de Susan Sontag (1933-2004), Histórias.

A editora conta ainda publicar os novos romances de José Eduardo Agualusa, José Luís Peixoto e José Riço Direitinho, uma biografia do político republicano chinês Sun Yat-Sem (1866-1935), de Jung Chang, e o romance vencedor do Prémio Pulitzer de 2018, Less, de Andrew Sean Greer, para além de novos títulos de Yrsa Sigurdadóttir, Mai Jia, Martin Amis e Julian Barnes, entre outros.

Sugerir correcção