Sp. Braga bate Marítimo e fecha ferida da Luz

Minhotos sobem ao segundo lugar à condição. Madeirenses somam quarta derrota consecutiva e caem para a zona de despromoção.

Foto
LUSA/HUGO DELGADO

O Sp. Braga venceu esta quarta-feira o Marítimo, por 2-0, com golos de Raúl Silva (8') e Wilson Eduardo (13'), em partida da 15.ª jornada da I Liga, recuperando provisoriamente a vice-liderança do campeonato, enquanto os madeirenses mergulham na zona de despromoção, consequência da pior sequência de jogos (16) sem vencer na história do clube. 

Sem ganhar há quatro meses, num total de 15 encontros (12 derrotas e três empates), o Marítimo entrou decidido frente a um Sp. Braga imbatível na “Pedreira”, na secreta esperança de poder reabrir a ferida ainda fresca dos minhotos, após o trauma da Luz. Pura ilusão para os homens de Petit, que ainda antes de esgotado o oitavo minuto já perdiam na sequência de um canto de Sequeira que Raúl Silva transformou em golo, o primeiro da conta pessoal do central na temporada, regressado à titularidade após jogo de suspensão.

Os minhotos travavam a sublevação insular, aniquilando todas as esperanças maritimistas com uma segunda vaga de Wilson Eduardo, igualmente regressado ao “onze” inicial de Abel Ferreira, beneficiando do castigo de Ricardo Esgaio. O segundo melhor marcador do Sp. Braga gelou Petit com um primeiro remate à barra da baliza de Charles, aquecendo as bancadas do Municipal de Braga no minuto seguinte, com o oitavo golo no campeonato, após assistência de Sequeira.

Os madeirenses acusaram o golpe e viveram momentos dramáticos, aproveitando a clemência em forma de ineficácia de Ricardo Horta e Dyego Sousa (o líder dos goleadores do campeonato ficou em branco), incapazes de abreviar o sofrimento de um Marítimo em queda livre, estando já na zona de despromoção.

Lentamente, os ilhéus foram recuperando o equilíbrio, aproximando-se da baliza de Tiago Sá, primeiro num ensaio de meia-distância e depois na sequência de um livre devolvido pela barreira. Restava a segunda parte para evitar a 13.ª derrota, quarta consecutiva, e a pior sequência da história do emblema funchalense.

Mas nem Sp. Braga (apesar de novo remate de Wilson Eduardo aos ferros) nem Marítimo foram capazes de alterar o resultado da primeira parte, tendo Abel Ferreira aproveitado a noite tranquila para promover a estreia do jovem Trincão ao mais alto nível.

Sugerir correcção