Bolsa de Tóquio em forte queda perante instabilidade nos EUA

Ameaças de Trump à independência da Reserva Federal e um "elefante na sala" chamado Deutsche Bank preocupam os investidores.

Foto
LUSA/KIMIMASA MAYAMA

As acções cotadas na bolsa de Tóquio registaram um forte recuo nesta terça-feira, dia de Natal em que a generalidade dos mercados estão encerrados, devido a receios relativos à economia norte-americano. O índice Nikkei chegou a cair mais de 5%.

Também a bolsa de Xangai recuava 2% esta terça-feira.

O nervosismo dos investidores segue-se a uma forte queda de Wall Street na segunda-feira, com o índice Dow Jones a concluir a pior semana da década, e é justificado pelas últimas notícias oriundas dos Estados Unidos. Durante o fim-de-semana, o secretário norte-americano do Tesouro, Steve Mnuchin, telefonou aos presidentes dos seis maiores bancos do país a questionar se estes tinham liquidez suficiente, anunciando a resposta positiva dos seus responsáveis através do Twitter - mas o anúncio apenas alimentou a preocupação de investidores e analistas sobre eventuais ameaças à saúde do sistema financeiro. 

Ao mesmo tempo, os mercados estão a reagir negativamente aos sucessivos ataques do Presidente norte-americano Donald Trump à Reserva Federal. O chefe de Estado não tem escondido a sua fúria com a decisão do banco central em aumentar as taxas de juro, considerando a Reserva Federal como o “único problema” da economia norte-americana. 

A instabilidade política nos Estados Unidos, onde o Governo se encontra em shutdown, não é contudo a única fonte de nervosismo: as incertezas associadas ao "Brexit", o peso crescente da China nas economias ocidentais e a situação preocupante do Deutsche Bank também estão a preocupar os investidores.