Como escolher e usar um perfume?

Dos mais fortes aos mais suaves, nunca compre por impulso, aconselham os especialistas na arte da perfumaria.

Fotogaleria
Sharon McCutcheon/Unsplash
Fotogaleria
Yes I am, Cacharel, 75 ml (75 euros)
Fotogaleria
Only the Brave Street (homem), Diesel, 125 ml (89 euros)
Fotogaleria
Grey (para homem), Dolce&Gabbana, 100 ml (99 euros)
Fotogaleria
L'Eau D'Issey Pure, Issey Miyake, 90 ml (103 euros),L'Eau D'Issey Pure, Issey Miyake, 90 ml (103 euros) ,
Fotogaleria
Sì Passione, Giorgio Armani, 100 ml (121,25 euros)
Fotogaleria
L'Interdit, Givenchy, 50 ml (94,50 euros)
Fotogaleria
Flower, Kenzo, um perfume em gel, 14g (60 euros)
Fotogaleria
La Vie Est Belle, Lancôme (89 euros, exclusivo Perfumes e Companhia)
Fotogaleria
Love Fearlessly, Mary Kay (55 euros),Love Fearlessly, Mary Kay (55 euros) ,
Fotogaleria
Mercedes-Benz Man, (58,75 euros, exclusivo Perfumes&Companhia)
Fotogaleria
Juliette has a Gun, Moscow Mule (85 euros, exclusivo Perfumes & Companhia)
Fotogaleria
Rouge, Narciso Rodriguez, 50 ml (84 euros)
Fotogaleria
Le Matin des Possibles e Le Soir des Possibles, Nuxe, 50ml (49,90 euros cada frasco)
Fotogaleria
1 Million Coffret - Eau de Toilette 50ml e Travel Spray 10ml, Paco Rabanne (68,45 euros, exclusivo Perfumes&Companhia)
Fotogaleria
Arizona, Proenza Schouler, 100 ml (109 euros)
Fotogaleria
Polo Ultra Blue (homem), Ralpj Lauren, 75 ml (65 euros)
Fotogaleria
Ever Bloom, Shiseido, 30 ml (99 euros)
Fotogaleria
Flowerbomb Nectar, Viktor&Rolf, 90 ml (124,40 euros)
Fotogaleria
Walden Perfumes, à venda na Fair Bazaar, em Lisboa, 50 ml, (entre 50 e 80 euros)
Fotogaleria
Black Opium Glowing Edition, Yves Saint Laurent, 90 ml (107,70 euros)
Fotogaleria
Y (homem), Yves Saint Laurent, 100 ml (95 euros)

Conta-se que Givenchy criou um perfume para a sua musa, Audrey Hepburn, e que ela o usava sempre. Por vezes deixava um lenço ou outra peça perfumada no atelier do designer em Paris. Então, as outras clientes perguntavam que aroma era aquele e pediam ao criador para o replicar. Um dia, Givenchy disse à actriz que iria fazê-lo, e Hepburn respondeu-lhe: “Je l'interdit.” É assim que se chama o perfume: L‘Interdit. É isto que qualquer pessoa, homem ou mulher, procura num perfume, um aroma com o qual se identifique e que o torne único.

Mas como escolher um perfume? A opção passa por uma fragrância mais forte ou mais suave? E onde a colocar? Atrás das orelhas, no pescoço, nos pulsos? O perfumista Lourenço Lucena diz que “uma fragrância deve ser usada onde queremos ser cheirados, seja em partes mais ou menos visíveis”. Por exemplo, atrás das orelhas e dos pulsos, na nuca perto do pescoço, no peito ou, no caso dos homens, abaixo da maçã-de-adão, recomenda. Há mesmo quem ponha perfume nas dobras atrás dos joelhos e nos sovacos, acrescenta a engenheira química Vera Mata, dona da empresa de produtos perfumados e aromatização Ownya, que aromatiza as lojas do designer Luís Onofre; e já criou perfumes para várias marcas de roupa. 

Todos estes locais do corpo têm muita irrigação sanguínea. “Nos pulsos, por exemplo, vêem-se logo as veias, logo são mais irrigados”, justifica a engenheira. E cada pessoa é livre de usar a quantidade que quiser. “Tem que ver com o gosto e o hábito de cada um”, acrescenta Lourenço Lucena, membro da Sociedade Francesa de Perfumistas. 

No entanto, o especialista não recomenda que se friccione um pulso no outro. “Não se deve esfregar porque estáa a misturar-se a gordura que temos na pele com a molécula odorífera do perfume”, justifica o profissional, que é diplomado em Composição de Perfumes pela Cinquième Sens, em Paris. Ao fazer isso, está a alterar o perfume. 

E o mesmo perfume pode ter um cheiro diferente consoante em quem se coloca? Sim. “Pode ter que ver com a oleosidade da pele e também com a temperatura média corporal”, responde a engenheira química. Se a pele for mais oleosa, vai reter durante mais tempo os compostos oleosos, explica Vera Mata, “e vai sentir-se no ar as notas mais aquosas da fragrância que se está a usar”.

Não comprar por impulso

Os dois especialistas concordam que tanto se pode colocar a fragrância na pele como na roupa, mas Lourenço Lucena alerta para os cuidados a ter para evitar manchas num lenço de seda, por exemplo. “Colocar a uma distância suficiente para que ao borrifar não manche a roupa”, aconselha. 

Quanto tempo dura um perfume depois de aspergido? Depende. “Quanto mais alta for a temperatura do meu corpo, mais rápido o perfume desaparece”, diz Vera Mata. E a temperatura ambiente também conta, acrescenta: “Quanto mais fresco o ambiente exterior estiver, mais tempo o perfume demora a evaporar. Logo, no Inverno fica mais tempo.” Um bom perfume dura entre seis e oito horas, um que já dure 12 a 24 horas é “especial, tem compostos com matérias-primas fixativas e, logo, evaporam-se mais lentamente”, explica. 

Em tempo de Natal, os perfumes são uma das opções de presente. Para Lourenço Lucena, a compra de um perfume não deve ser feita “de forma impulsiva”. Por isso, recomenda que se experimentem algumas fragrâncias nas tirinhas de papel que as perfumarias têm disponíveis para o efeito e que se vá seleccionando até reduzir a lista a quatro. Só depois se deve experimentar o perfume na pele, em sítios diferentes – por exemplo, borrifar nos pulsos e nos antebraços –; e, de seguida, esperar que o perfume evolua. Passado uma ou duas horas, o cheiro será certamente diferente, explica o perfumista. Só depois deste processo é que é possível perceber que há fragrâncias que têm uma duração na pele maior do que outras. 

Lourenço Lucena diz que “oferecer um perfume é das coisas mais difíceis, a não ser que se conheça bem a pessoa e os seus gostos”, porque a probabilidade de errar “é grande, a menos que se saiba o perfume que a pessoa usa”. Vera Mara concorda e acrescenta que é preciso saber se a outra pessoa gosta mais de fragrâncias com notas amadeiradas, orientais, doces, florais ou até marítimas. “É tudo uma questão de gosto pessoal”, diz a engenheira química. “É um desafio”, conclui o perfumista.