No Ponto: rabanadas de Ponte da Barca

Regularmente, a Fugas divulga um vídeo novo sobre um doce diferente.

Fotogaleria
Fotogaleria

Doce de Natal por excelência, as rabanadas estão presentes de diferentes formas nas mesas dos portugueses desde há muitos séculos. O pão é embebido em leite (ou em vinho, também se admite), passa-se por ovo batido, e depois as possibilidades são várias: pode-se fritar, cozer em calda de açúcar, ou mesmo assar no forno.

A simplicidade das rabanadas, no uso que faz do pão, já vem da antiguidade romana e a eficácia da receita explica por que se espalhou pela Europa e se manteve nos nossos hábitos gastronómicos até hoje.

Neste Natal, quando estiver a fazer rabanadas, ou quando estiver a comê-las, lembre-se que está a repetir gestos que remontam a épocas que se perdem no horizonte do tempo. Tenha um Feliz Natal.

A Doçaria Portuguesa

Cristina Castro criou o projecto No Ponto para registar e dar a conhecer os doces do país. Tem vindo a publicar a colecção A Doçaria Portuguesa, "os mais completos livros sobre a história e actualidade dos doces de Portugal". A investigação para este trabalho levou a autora a viajar por todos os concelhos em busca de especialidades doceiras. A partir da oportunidade de ver como se faz, de falar com quem produz, de conhecer vidas, histórias e tradições associadas à doçaria, surgiram os vídeos que desvendam um pouco de cada doce. Regularmente, a Fugas revela um vídeo novo sobre um doce diferente.

PÚBLICO -
PÚBLICO -
PÚBLICO -
Fotogaleria