Porto de Leixões volta a bater recorde de cruzeiros e de turistas

Aumento da dimensão dos navios que atracaram no Porto nortenho permitiu crescimento de 22% dos passageiros.

Navio Mein Schiff 1, o maior que  atracou no terminal de cruzeiros do Porto de Leixoes.
Foto
Navio Mein Schiff 1, o maior que atracou no terminal de cruzeiros do Porto de Leixoes. Andre Rodrigues

Em 2018, o Porto de Leixões voltou a bater recordes de cruzeiros e de passageiros ao abrir as portas a 101 navios, cerca de 117 mil turistas e 57 mil tripulantes, revelou esta segunda-feira a administração portuária nortenha, que se mostra optimista em relação a 2019.

Ao longo do ano que está prestes a acabar, o Porto registou um crescimento de 1% no número de navios e de 22% em passageiros, comparativamente a igual período de 2017.

Graças à novo terminal de cruzeiros, a dimensão dos navios a escalar o Porto também tem vindo a aumentar. Este ano chegaram a Leixões 26 navios com mais de 250 metros.

 “Já em Setembro, este Porto recebeu o novo Mein Schiff 1, o maior navio de sempre a atracar no terminal nortenho, com quase 316 metros de comprimento”, revela o Porto de Leixões em comunicado, acrescentado que, inicialmente, só atracavam navios até 300 metros. “O facto de termos conseguido ultrapassar este limite motiva-nos para futuras operações e habilita o nosso terminal a alargar a frota de companhias de cruzeiro”, destaca a administração portuária.

O ano também fica ainda marcado pela “estreia do terminal de cruzeiros no embarque e desembarque simultâneo de passageiros, o designado turnaround”.

No top 3 das nacionalidades a visitar a região norte de Portugal estão os ingleses, os alemães e os americanos. Estima-se, ainda, que os turistas que chegam a este porto “representem uma receita estimada de cerca de nove milhões de euros”, refere o comunicado.

Para o próximo ano, a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) avança “expectativas em alta, com 110 escalas de navios de cruzeiros já agendadas, das quais 14 são inaugurais”, que deverão trazer à região do Porto e do Norte “cerca de 125.000 turistas”.