Janelle Monáe, Mitski ou Low encabeçam listas de melhores do ano

A maior parte das publicações de todo o mundo já divulgou as suas listas de melhores álbuns do ano e as presenças cimeiras de Janelle Monáe, Mitski, Low, Cardi B, Idles ou Arctic Monkeys são uma constante.

Foto
Janelle Monáe

É um ritual que se repete todos os anos. A generalidade das publicações mais credíveis e valorizadas do mundo já divulgou as suas listas de objectos culturais mais relevantes do ano que agora está quase a findar.

Entre eles, claro, os álbuns de música popular. A americana Billboard coloca nos dois primeiros lugares, duas das figuras de vulto do R&B, com Ariana Grande de Sweteener, à frente da Cardi B de Invasion Of Privacy, que acaba por estar em primeiro na Rolling Stone, seguida de Golden Hour de Kacey Musgraves. A revista inglesa Mojo elegeu o jazz do americano Kamasi Washington (Heaven and Earh), colocando na segunda posição os Arctic Monkeys de Tranquility Base Hotel & Casino. Os Monkeys figuram na segunda posição do NME, que optou pelos ingleses The 1975 do álbum A Brief Inquiry Into Online Relationships para primeiro, com o neo-punk furioso dos Idles do álbum Joy as an Act of Resistance em terceiro.

PÚBLICO -
Foto
Mitski

Os The 1975 lideram também as escolhas da revista americana Spin, que coloca em 2º lugar um dos discos que aparece na maior parte das escolhas, o álbum Be the Cowboy da nova-iorquina Mitski, que actuará na edição 2019 do festival Paredes de Coura, ficou a saber-se esta sexta-feira. A americana de origens nipónicas lidera a lista da publicação Pitchfork, com o pódio a ser partilhado com Kacey Musgraves e Knock Knock, álbum do alemão DJ Koze. A inglesa Uncut não tem duvidas: o melhor álbum do ano é Double Negative, o surpreendente registo dos Low, enquanto em segundo encontramos Hope Downs dos Rolling Blackouts Coastal Fever.

A bíblia das músicas mais exploratórias, a revista inglesa The Wire, escolhe Your Keen is A reptile dos britânicos Sons Of Kemet, colocando Terminal de Zuli em segundo, enquanto a NPR Music opta por coroar Dirty Computer da americana Janelle Monáe. Aliás o sítio da internet Album Of The Year, numa média gerada a partir de 78 listas de influentes publicações, chegou à conclusão que o álbum da americana é aquele que se encontra mais destacado, logo secundada por Mitski, Kacey Musgraves, Low, Cardi B, o rapper Pusha T, a sueca Robyn, Idles, a francesa Christine and the Queens e Ariana Grande. Os Arctic Monkeys, Tirzah, Sophie, Kamasi Washington, Noname, Rosalía, Sons Of Kemet, The 1975 ou Jon Hopkins são alguns dos outros nomes que figuram entre os 30 autores de álbuns que acabam por ser mais nomeados nas listas efectuadas por especialistas de música.