BCE confirma fim de compra de dívida no final do ano

Banco central assinala que irá reinvestir o dinheiro dos títulos de dívida que chegarem ao fim do seu prazo “por um período longo de tempo”

Foto
Reuters/INTS KALNINS

O Banco Central Europeu confirmou esta quinta-feira a intenção de colocar um ponto final nas compras líquidas de dívida pública que tem vindo a realizar durante os últimos quatro anos e meio com o objectivo de estimular a economia da zona euro.

No comunicado que se seguiu à reunião do conselho de governadores desta quinta-feira, o banco central diz que o programa de compra de activos - que ascendeu desde 2014 aos 2,6 biliões de euros e que ajudou países como Portugal a baixar as taxas de juro a que se conseguem financiar nos mercados – “irá acabar em Dezembro de 2018”. Esta data já estava há vários meses prevista e nos últimos dois anos tinha-se vindo a assistir a uma redução progressiva do volume de compras.

O BCE assinala contudo que irá continuar a reinvestir o dinheiro que receber quando os títulos de dívida que comprou chegarem ao fim do seu prazo, uma medida que permite que o impacto do fim do programa de compras seja minimizado. Os governadores do banco liderado por Mario Draghi decidiram que esse reinvestimento se irá realizar “por um período longo de tempo” e “para além da data em que se inicie a subida das taxas de juro de referência do BCE”. Na prática, o que irá acontecer é que o volume de activos no balanço do BCE, embora parando de crescer, continuará também a não registar uma descida.

No comunicado, como era esperado, o banco também assinala que as taxas de juro se mantêm nos seus mínimos históricos, não sendo dados sinais de quando é que as subidas se irão realizar.

Às 13h30 (hora de Lisboa), o presidente do BCE irá dar mais explicações numa conferência de imprensa em Frankfurt.