DR
Foto
DR

Não queres que o Reino Unido deixe a União Europeia? Envia um postal

Please Stay, UK é um site em que se pode criar postais digitais personalizados para dar uma "palavra de solidariedade" ao "amigos ingleses". Objectivo é que o movimento chegue a vários países. Ideia partiu de Paulo Azevedo (Sonae) e da mulher, em conjunto com Bright Pixel e a Fuel.

Please Stay, UK. O objectivo do site é claro e manifesta-se de diferentes maneiras. Há promessas como “vamos atribuir estrelas Michelin a pratos de fish and chips” ou "prometemos levar o cricket a sério". Há dúvidas existenciais como “o que é que vou fazer com os meus adaptadores de tomadas?” E há também aquelas frases idênticas às que suplicamos à nossa cara-metade quando ela nos dá com os pés: “Não me deixes agora” ou “vamos sentir saudades tuas”.

Ao todo, são 25 frases em língua inglesa. Depois de seleccionar uma delas, basta sorrir para a fotografia, escolher o país de origem e tcharan: é criado um postal digital com a nossa cara enfiada num chapéu igual ao dos guardas da rainha, tendo como fundo uma paisagem do país seleccionado. O objectivo é expressar o sentimento dos cidadãos europeus face ao processo de saída do Reino Unido na União Europeia — e, se possível, travá-lo.

PÚBLICO - O postal número 479, vindo da Finlândia.
O postal número 479, vindo da Finlândia.
PÚBLICO - O postal número 501, vindo da Austria.
O postal número 501, vindo da Austria.
PÚBLICO - O postal número 532, de Portugal.
O postal número 532, de Portugal.
Fotogaleria

A ideia partiu de Paulo Azevedo (presidente do grupo Sonae, dono do PÚBLICO) e da mulher, Nicole Azevedo, que, com apoio de vários amigos, se associaram à Bright Pixel (empresa de investimento em tecnologia) e à Fuel (agência de publicidade) para criar o projecto que surgiu "de forma muito espontânea" no final de Novembro. Nasceu de uma conversa entre amigos que pensaram que, como eles, haveria mais europeus a quererem mostrar aos ingleses que a sua permanência na União Europeia era "importante", como explica Nicole Azevedo ao P3. Decidiram, então, antes da votação do Brexit (que afinal não se realizou esta terça-feira, 11 de Dezembro), começar uma onda de "solidariedade europeia" com que a alemã, a viver em Portugal há 20 anos, se "identifica". "Eu sinto-me mais mais europeia que outra coisa", comenta.

“A iniciativa foi bastante espontânea porque começámos a ver que há um sentimento comum em nós e na maioria dos cidadãos europeus”, concorda Celso Martinho, CEO da Bright PixelLançado a 7 de Dezembro, o site foi criado numa semana. “Com todos os acontecimentos, o timing tinha de ser agora”, revela Celso, considerando que os postais são uma forma “engraçada” de “dar uma palavra de solidariedade" aos "amigos ingleses”. Até agora, já foram criados mais de 535 postais. A maioria é de origem portuguesa, mas existem participações de vários países da Europa, como a Áustria, a Finlândia, a Alemanha, a Croácia e a Bélgica. “Não conseguimos prever o impacto que a iniciativa vai ter, mas queremos iniciar um movimento”.

Além dos postais, o site também tem uma loja onde é possível comprar t-shirts personalizadas. Uma forma de “criar dinâmica e de continuar a envolver as pessoas” — mas até quando? Não se sabe, a campanha não tem data para encerrar. “A situação no Reino Unido é imprevisível”, considera o CEO, gracejando que “a campanha vai durar até continuar a ter sentido”.

Esta quarta-feira, todos os olhos estão postos na votação que a primeira-ministra britânica vai enfrentar ao final do dia. Theresa May enfrenta uma moção de desconfiança à sua liderança no Partido Conservador, movida por 48 deputados após May ter adiado a votação decisiva no Parlamento sobre o acordo do Brexit que negociou com Bruxelas.

A primeira-ministra britânica precisa que pelo menos 158 deputados tory a apoiem para não cair. Se perder, terá de demitir-se e não poderá avançar às eleições internas que se seguirem. Se ganhar mantém-se e ganha imunidade política durante os próximos 12 meses. O Brexit está marcado para 29 de Março de 2019 e um novo líder dificilmente poderá cumprir este prazo. Com Renata Monteiro