Prémio Sakharov já foi entregue a representantes do realizador ucraniano preso na Rússia

Oleg Sentsov está preso numa zona remota da Rússia desde 2014, sendo acusado de "planear actos terroristas" na Crimeia.

O Parlamento Europeu entregou nesta quarta-feira o Prémio Sakharov ao cineasta ucraniano, Oleg Sentsov, que não esteve na cerimónia porque está preso na Rússia desde 2014.

Foi a prima do realizador, Natalya Kaplan, e o seu advogado, Dmitry Dinze, que receberam o prémio em nome de Sentsov numa cerimónia realizada em Estrasburgo, visto que o ucraniano está na prisão de Labitnangui, uma cidade a mais de 4000 quilómetros de Moscovo.

Sentsov foi condenado a 20 anos de prisão por “planear actos terroristas” durante a anexação da península da Crimeia por parte da Rússia. No final de Setembro, foi hospitalizado depois de quatro meses de grave de fome, e os apelos à sua libertação multiplicaram-se entre líderes internacionais.

O anúncio do vencedor do prémio que atribui uma bolsa de 50 mil euros foi feito em Outubro por Antonio Tajani, presidente do Parlamento Europeu.

“Com a sua coragem e determinação, pondo sua vida em perigo, Oleg Sentsov tornou-se um símbolo da luta pela libertação dos prisioneiros políticos mantidos na Rússia e em todo o mundo. Ao atribuir-lhe o Prémio Sakharov, o Parlamento Europeu manifesta a sua solidariedade. Pedimos que seja libertado imediatamente. A sua luta relembra-nos que é nosso dever defender os direitos humanos em todos os lugares do mundo e em todas as circunstâncias”, afirmou na altura Tajani.