Paulo Pimenta
Foto
Paulo Pimenta

Gig Club: e que tal pagar uma subscrição para ver concertos?

Sócios pagam uma subscrição anual e têm acesso aos concertos. Kamasi Washington, Jessy Lanza e Low Roar são os primeiros nomes programados pelo Gig Club.

Uma nova promotora musical, de nome Gig Club, vai organizar concertos por subscrição, em que os sócios pagam uma subscrição anual que garante prioridade nos eventos organizados.

Embora o pré-registo já esteja aberto, o Gig Club só vai estar disponível online a partir de quarta-feira, 12 de Dezembro. Porto e Lisboa são as primeiras cidades a receber o serviço, mas, de acordo com o comunicado da organização, o objectivo é chegar a Madrid, Barcelona, Londres e Berlim. A promotora quer realizar em média um concerto por mês, além de actividades adicionais como festas para escuta de discos em antestreia e concertos em locais secretos, que só são divulgados em cima da hora.

Em declarações à Lusa, o fundador do Gig Club, João Afonso, explicou que a ideia se formou por, "enquanto melómano", querer ver concertos de bandas emergentes que não tinham palco onde actuar face à falta de vontade de arriscar por parte de quem programa. "O problema não é do público, é dos promotores não conseguirem chegar a esse público, e comecei a pensar em como seria criar um canal para promover o concerto de uma banda menos conhecida", afirmou João Afonso. 

Nos primeiros seis meses, o projecto pretende alcançar quatro mil sócios em Lisboa e no Porto. Os subscritores terão de pagar 50 euros por cidade ou 80 euros para acesso a concertos em todas as cidades da rede, neste caso Lisboa e Porto, estando previsto o envolvimento de salas como o Lux, o MusicBox e o Lisboa ao Vivo, na capital, e o Hard Club e o Pérola Negra, no Porto. O preço da subscrição anual garante um bilhete gratuito e descontos nas demais entradas, além de outros privilégios.

"Os concertos normais de agenda vão ser anunciados regularmente, vamos dar primazia aos nossos sócios, só depois sairá cá para fora [para o público em geral] e depois os concertos secretos serão em locais inusitados", explicou João Afonso.

Os primeiros concertos a anunciar pelo novo projecto são os da canadiana Jessy Lanza (23 e 24 de Janeiro, no Porto e em Lisboa, respectivamente), da banda Low Roar (12 e 13 de Fevereiro, em Lisboa e Porto) e o regresso a Portugal do saxofonista norte-americano Kamasi Washington (10 e 11 de Maio, no Porto e em Lisboa).

Quanto ao universo musical no qual se pretendem mover, João Afonso refere que há "abertura para programar em diversas vertentes", em particular abrangendo o jazz, electrónica, a world music e "o chamado indie". "Sabemos que estamos a correr alguns riscos, em especial no primeiro ano. [Mas nas] primeiras bandas não estamos a arriscar tanto quanto isso", referiu o fundador do projecto.