SNS vai ter consultas de actividade física para quem sofre de depressão ou diabetes

Iniciativa arranca até Março, para já apenas em 13 projectos-piloto. A ideia é testar o impacto do exercício físico na prevenção e tratamento destas doenças crónicas.

Foto
ADRIANO MIRANDA

Alguns doentes crónicos vão passar a ter consultas de actividade física no Serviço Nacional de Saúde (SNS). A iniciativa arranca no início de 2019, por enquanto apenas em 13 projectos-piloto em unidades de Norte a Sul do país, e destina-se, numa primeira fase, a pessoas com diabetes tipo 2 e depressão.

Cristina Godinho, do Programa Nacional de Promoção de Actividade Física da Direcção-Geral da Saúde (DGS), explicou, em entrevista à TSF, como vai funcionar este projecto: os doentes serão identificados pelo médico de família e convidados a participar numa consulta multidisciplinar. "Serão depois acompanhados nessa consulta durante seis meses, ao longo dos quais irão ter diversas consultas e ser avaliados", explica.

"Esta consulta vai ser coordenada por um médico com uma especialização ou pós-graduação em medicina desportiva, em colaboração com um profissional da área do exercício físico. Depois há outros profissionais de saúde que poderão ser envolvidos, como fisioterapeutas, enfermeiros, nutricionistas e psicólogos, caso a caso e por referenciação", especifica Cristina Godinho.

A ideia é replicar o que faz noutros países, nomeadamente no Reino Unido e na Suécia, onde a prescrição de exercício físico acompanhado a doentes crónicos é já uma prática comum. No caso da diabetes tipo 2 e da depressão, a evidência científica demonstra que a actividade física tem efeitos importantes não só ao nível da prevenção, mas também do tratamento ou como coadjuvante terapêutico.

Cristina Godinho esclarece que os projectos-piloto vão ser lançados no primeiro trimestre de 2019 e que os resultados serão depois avaliados para perceber o impacto na saúde dos doentes e nas contas do SNS. Se o saldo for positivo, a DGS pondera alargar a iniciativa a outras unidades do país.

Outra medida anunciada há meses passa por pôr os médicos de família perguntar aos utentes se praticam algum desporto ou fazem qualquer tipo de actividade física

De acordo com o último Eurobarómetro, os portugueses fazem pouco exercício físico. Em 2010, 33% diziam fazer exercício físico ou desporto com alguma ou muita regularidade — entre uma a cinco vezes por semana. Em 2014, o número desceu para 28% e, em 2017, baixou para 26%.