Portugueses desaconselhados de fazer “deslocações não necessárias a Paris” no sábado

A “forte possibilidade de confrontos” levou o MNE a emitir o alerta. Os viajantes devem prestar atenção aos alertas das autoridades, das câmaras municipais e informações dos meios de comunicação social.

Foto
STEPHANE MAHE/Reuters

O Ministério dos Negócios Estrangeiros, MNE, aconselha os portugueses a “evitar deslocações não necessárias a Paris” no sábado, dia de novos protestos do movimento Coletes Amarelos. O alerta foi feito nesta sexta-feira num comunicado publicado no site do Portal das Comunidades Portuguesas.

A “forte possibilidade de confrontos” levou o Ministério dos Negócios Estrangeiros a emitir a recomendação. São de evitar as zonas dos “Campos Elísios/Arco do Triunfo, Bastilha, République, Opéra/Grands Magasins (onde se situam as Galerias Lafayette e outras), Assembleia Nacional (perto do Museu d’Orsay), Senado (Jardins do Luxemburgo) e Denfert-Rochereau”. Todos estes locais foram palco de confrontos noutras manifestações dos Coletes Amarelos, nomeadamente no sábado passado, quando centenas de participantes nos protestos ficaram feridos.

O Portal das Comunidades Portuguesas aconselha os viajantes a manterem-se informados sobre a situação na capital francesa, recorrendo aos meios de comunicação locais e a contas oficiais dos organismos públicos franceses nas redes sociais – como as das préfectures de Police e das mairies, sobretudo a de Paris. 

“A Mairie [Câmara Municipal] de Paris anunciou que vai divulgar, através de redes sociais e dos vários painéis informativos espalhados pela cidade, informação sobre zonas a evitar”, informa o comunicado.

“Adicionalmente, vários monumentos e museus”, como a Torre Eiffel, o Museu do Louvre e outros, “estarão encerrados” a pedido da polícia e “vários eventos desportivos, culturais e associativos têm sido cancelados ou adiados” a pedido das autoridades, como o jogo entre o Paris Saint-German e o Montpellier.

Estes são os conselhos válidos para a capital. Noutros pontos do país podem decorrer algumas “acções de protesto” e “interrupções ou bloqueios de trânsito nos eixos principais de ligação às grandes cidades”, nomeadamente em Marselha, Nice, Aix, Arles e Avignon.

Para as manifestações de sábado estão mobilizados 89 mil polícias. Depois de três fins-de-semana consecutivos de manifestações do movimento que exige a reposição do poder de compra dos franceses, o Governo decidiu não aumentar, como previsto, o imposto sobre os combustíveis. 

Mas este recuo não foi suficiente para travar os manifestantes, que voltam às ruas para exigir reformas laborais, sociais e no sistema de Educação, entre outras reivindicações. Será a quarta manifestação no espaço de um mês. 

Sugerir correcção