Arquitectos constroem cidade de gengibre para estimular o apetite pelo design

A exposição anual, que é montada pelo Museu de Arquitectura de Londres, está patente de 8 de Dezembro a 6 de Janeiro.

Fotogaleria
Reuters/PETER NICHOLLS
Fotogaleria
Reuters/PETER NICHOLLS
Fotogaleria
Reuters/PETER NICHOLLS
Fotogaleria
Reuters/PETER NICHOLLS
Fotogaleria
Reuters/PETER NICHOLLS
Fotogaleria
Reuters/PETER NICHOLLS
Fotogaleria
Reuters/PETER NICHOLLS
Fotogaleria
Reuters/PETER NICHOLLS
Fotogaleria
LUSA/Gyorgy Varga

Os arquitectos trocaram os materiais de construção tradicionais por açúcar e especiarias para criar uma cidade do futuro, feita de gengibre. Está patente no Victoria & Albert Museum, em Londres, e serve para mostrar que o planeamento urbano pode ser divertido e saboroso.

A exposição anual, que é montada pelo Museu de Arquitectura de Londres, está patente de 8 de Dezembro a 6 de Janeiro e mostra edifícios de arquitectos, designers e engenheiros que foram convidados a criar uma cidade sustentável e inclusiva.

“Nós projectamos e trabalhamos muito na modelagem, nesta escala”, conta o arquitecto Robert Nolan, acrescentando que trabalhar com pão de gengibre não é muito diferente do que os arquitectos fazem em termo de projectos. “Na verdade o design é divertido”, confessa.

Mais de 60 estruturas foram preparadas e a cidade possui um teleférico feito de alcaçuz, ciclovias e rotas para peões feitas inteiramente de açúcar, enquanto a Holland Harvey Architects projectou um abrigo moderno para os sem-abrigo.