PSD quer ministros do Ambiente e da Agricultura na AR para explicarem plano de corte de 50% dos bovinos

Roteiro do Governo para a neutralidade carbónica em 2050 prevê redução da produção de bovinos entre 25 a 50%. Deputados do PSD avisam que de trata de "devastação" das raças autóctones, do mercado de trabalho do sector agropecuário e que contribuirá para o abandono do interior.

Foto
Hugo Santos

As medidas de redução da produção de gado bovino entre 25 e 50% previstas no roteiro para a neutralidade carbónica, apresentado na terça-feira pelo Governo e noticiado pelo PÚBLICO, irão provocar uma "devastação" no sector agro-pecuário considera o PSD. A bancada social-democrata pretende, por isso, que os ministros do Ambiente e Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, e da Agricultura, Capoulas Santos, expliquem no Parlamento o que está a ser planeado pelo executivo.

O roteiro do Governo prevê várias medidas para que Portugal consiga reduzir o saldo líquido de emissões de CO2 das 60 megatoneladas em 2015 para zero em 2050.

Os deputados sociais-democratas Nuno Serra, Rubina Berardo, Maurício Marques e António Lima Costa entregaram na Comissão de Agricultura e Mar um requerimento pedindo a audição conjunta dos dois governantes.

No texto, a que o PÚBLICO teve acesso, o PSD argumenta que um "roteiro de abandono da produção bovina só trará mais assimetrias territoriais, abandono do interior, aumento da importação de carne e perda de competitividade na fileira láctea". Esta política de "devastação do potencial bovino", como a classificam os deputados, terá também como resultado uma "redução drástica de postos de trabalho em toda a fileira agro-pecuária e industrial e o aumento do défice na balança comercial".

Mas não é só na área social e financeira que as consequências se farão sentir. Os deputados acrescentam ainda os efeitos negativos na continuidade das raças autóctones que têm vindo a ser preservadas ao longo dos anos e em cuja investigação quais têm investido não só empresas mas também universidades.

"Os dados mais recentes mostram que existem em Portugal mais de um milhão e 700 mil bovinos e aproximadamente 43 mil explorações. A produção nacional de carne representa apenas 53% do que é consumido em Portugal. Estima-se que actualmente o sector lácteo seja responsável por 50 mil postos de trabalho", descrevem ainda os quatro deputados no requerimento que será analisado só na próxima semana na reunião da comissão de Agricultura.

E dizem também que a opção de reduzir drasticamente a produção de bovinos aliada à intenção de "aumento da capacidade de sumidouro da floresta em quatro megatoneladas de dióxido de carbono" traduzem o "enorme desconhecimento do país e mundo rural por parte do actual Governo".