Crónica de jogo

Este Sporting também serve para a Liga

"Leões" venceram em Vila do Conde, por 1-3, e retomaram o segundo lugar, no encerramento da 11.ª jornada.

Foto
LUSA/HUGO DELGADO

Testado e aprovado na Taça de Portugal e na Liga Europa, o Sporting de Marcel Keizer também passou com distinção o seu primeiro teste na Liga portuguesa, triunfando em Vila do Conde por 1-3, no jogo que fechou a 11.ª jornada. Tal como acontecera com o Lusitano de Vildemoinhos e com o Qarabag, os “leões” apresentaram-se como uma equipa de grande propensão ofensiva e a correr riscos perante um adversário num patamar bastante superior ao dos dois primeiros e que justificou plenamente a sua boa campanha no primeiro terço do campeonato.

Com este triunfo, os “leões” reassumiram o segundo lugar (25 pontos) e repuseram a diferença em dois pontos para o líder FC Porto (27), enquanto o Rio Ave fica empatado com o V. Guimarães no quinto lugar (18), depois de sofrer a sua segunda derrota consecutiva. Mais um teste superado para este Sporting que só se pode considerar novo, não tanto pelas vitórias, mas pela forma como ganha. Com Keizer, e recorrendo praticamente aos mesmos jogadores que José Peseiro utilizava, o Sporting joga objectivamente melhor.

Há uma estatística reveladora do novo estilo do Sporting com Keizer. Durante o jogo, cometeu 27 faltas, mais do dobro das do Rio Ave (11) e teve cinco cartões amarelos contra três dos vila-condenses. Isto corresponde a uma estratégia de pressão alta e de reacção rápida à perda da bola, uma atitude também presente no momento de atacar, com trocas de bola rápidas e em progressão.

As lições ainda não estão totalmente assimiladas e isso percebe-se nos passes errados e, por vezes, no excesso de circulação, mas há uma vertigem atacante que já não se via desde os primeiros tempos de Jorge Jesus.

Depois de alguns ameaços dos dois lados, o Sporting adiantou-se no marcador logo aos 8’, num lance muito contestado pelo Rio Ave. Após um lance no meio-campo em que Carlos Xistra assinala falta favorável ao Sporting, Coates recolhe a bola alguns metros atrás do local do contacto, perto da linha de meio-campo, e imediatamente a coloca em Bruno Fernandes. O médio dá em Nani e recebe a bola já dentro da área, com um remate cruzado e de primeira que não dá qualquer hipótese a Leo Jardim — os vila-condenses consideraram que o jogo estava parado e que o livre foi cobrado longe do local da falta.

O Rio Ave respondeu de imediato e, aos 12’, chegou ao empate. Num livre cobrado à entrada da área, João Schmidt aproveitou o mau posicionamento de Renan e colocou a bola na baliza. Com o jogo empatado, o Sporting continuou a jogar no risco e foi criando várias oportunidades, até conseguir colocar-se de novo em vantagem, aos 23’. A jogada começa em Nani, que coloca em Acuña e o argentino faz o cruzamento perfeito para Bas Dost cabecear entre os centrais do Rio Ave — foi o sexto golo do holandês no campeonato e o seu 100.º ao serviço dos “leões”. Dost ainda voltou a meter a bola na baliza no início da segunda parte, mas o lance foi invalidado por fora-de-jogo.

Com a diferença mínima, o Rio Ave continuou a lutar pelo resultado, com Vinícius bem acompanhado nas alas por Galeno e Fábio Coentrão. Esteve perto de ser feliz aos 65’, com Renan a defender dois remates de Schmidt, mas seria o Sporting a marcar: aos 72’, um enorme remate de Jovane Cabral de fora da área deixou os “leões” seguros em mais uma etapa do seu renascimento holandês.