Aurélio Furdela vence prémio literário INCM/Eugénio Lisboa em Moçambique

Saga d'Ouro foi a obra distinguida. Júri atribuiu também uma menção honrosa a Sonhos Manchados, Sonhos Vividos, de Agnaldo Bata.

Aurélio Furdela
Foto
Aurélio Furdela DR

Aurélio Furdela venceu a segunda edição do Prémio Literário Imprensa Nacional Casa da Moeda (INCM)/Eugénio Lisboa, anunciou esta segunda-feira o Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, em Maputo.

O júri "deliberou atribuir o prémio de prosa literária INCM/Eugénio Lisboa ao texto Saga d'Ouro, da autoria de Aurélio Furdela, e uma menção honrosa a Sonhos Manchados, Sonhos Vividos, de Agnaldo Bata", divulgou a instituição em comunicado.

O prémio, que visa incentivar a criação literária moçambicana, contempla a edição da obra vencedora, bem como a atribuição de um valor monetário de cinco mil euros ao vencedor.

O júri foi constituído pelo escritor moçambicano Ungulani Ba Ka Khosa, na qualidade de presidente, por Teresa Manjate e Paula Mendes.

A atribuição do prémio à obra Saga d'Ouro deve-se, segundo o júri, à escrita cuidada a nível linguístico e por manifestar um domínio sobre as técnicas da narrativa. Por seu turno, a atribuição da menção honrosa a Sonhos Manchados, Sonhos Vividos deve-se à criatividade temática da obra.

Ao prémio concorreram 15 textos, dos quais 13 entregues em Maputo e dois nas províncias.

Nascido em 1930 em Moçambique, Eugénio Lisboa é um ensaísta e crítico literário, autor de prosa e poesia, especialista na obra de José Régio, e antigo presidente da Comissão Nacional da UNESCO.