TAP recebe o primeiro A330Neo, após uma longa espera

Companhia portuguesa encomendou 14 exemplares do novo avião da Airbus e é a primeira do mundo a recebê-lo. TAP espera abrir 14 rotas em 2019, com 36 novos aparelhos.

Fotogaleria
REUTERS/Regis Duvignau
Fotogaleria
REUTERS/Regis Duvignau
Fotogaleria
REUTERS/Regis Duvignau
Fotogaleria
Reuters/REGIS DUVIGNAU
Fotogaleria
Reuters/REGIS DUVIGNAU
Fotogaleria
Reuters/REGIS DUVIGNAU
Fotogaleria
Reuters/REGIS DUVIGNAU

A TAP recebe nesta segunda-feira o primeiro Airbus A330Neo a entrar em circulação no mundo da aviação comercial. É um momento simbólico para a transportadora portuguesa, que vai ter 36 novas aeronaves até ao final do próximo ano.

A entrega deste aparelho foi adiada duas vezes, pelo menos: inicialmente, esteve prevista para o final de 2017, mas no final de Dezembro de 2016 soube-se que essa entrega tinha sido adiada para Março deste ano. Esse prazo também acabou por não ser cumprido.

O primeiro A330Neo da aviação comercial será entregue em Toulouse, cidade francesa que é a sede das operações do consórcio europeu. O presidente executivo da TAP, Antonoaldo Neves, deslocar-se-á a Toulouse para receber oficialmente o aparelho. 

O primeiro Airbus A330neo a voar descolou na quinta-feira, 19 de Outubro, de Colomiers, perto de Toulouse, cidade-sede do consórcio europeu Airbus. A TAP será a primeira companhia do mundo a operar este modelo, a partir de 2018 Reuters/REGIS DUVIGNAU
Tratou-se de um voo de teste do A330neo, que a Airbus garante ser mais eficiente em termos de consumo: a sua estrutura e configuração permitem poupar até 14% de combustível por passageiro, garante o fabricante Reuters/REGIS DUVIGNAU
Representantes da empresa e convidados recebem o primeiro A330neo a aterrar em Toulouse, sob o olhar da imprensa Reuters/REGIS DUVIGNAU
A equipa que pilotou o aparelho neste voo de teste, após a missão cumprida. O avião existe em duas configurações, A330neo-800 e A330neo-900 Reuters/REGIS DUVIGNAU
O momento da primeira descolagem, impulsionada pelos motores Rolls Royce Trent 7000, aproveitando a nova configuração da asa, que reduz o atrito Reuters/REGIS DUVIGNAU
A TAP encomendou 14 exemplares deste modelo, que compete no mercado da aviação com o Dreamliner da Boeing Reuters/REGIS DUVIGNAU
Réplica em miniatura, mas à escala, do novo modelo, para o qual existem 212 encomendas de todo o mundo. O avião é montado em Toulouse, na mesma linha do anterior A330 Reuters/REGIS DUVIGNAU
Um A330 por pintar, mas já com a identificação da TAP, depois de aterrar em Toulouse esta semana Reuters/REGIS DUVIGNAU
O A330neo-800 pode voar até 13.900 quilómetros, ao passo que a versão -900 consegue cobrir ligeiramente menos, 12.130 quilómetros Reuters/REGIS DUVIGNAU
Os pilotos saúdam o pessoal em terra com bandeiras, depois da primeira aterragem Reuters/REGIS DUVIGNAU
Cada companhia irá poder personalizar o interior do A330neo. Este é o aspecto segundo as imagens promocionais do facbricante, que desenvolveu este conceito de cabina ao qual chamou Airspace Airspace by Airbus
Detalhe da cabina segundo material de divulgação da Airbus Airspace by Airbus
Vista do interior da cabina do A330neo, segundo imagens da Airbus Airspace by Airbus
O A330neo-800 tem lotação para 257 passageiros, ao passo que a versão -900 acomoda 287 pessoas Airspace by Airbus
No caso dos aviões da TAP, o interior será personalizado, tenho a companhia contratado o gabinete Alma Design, que reformulou o interior dos A320 Airspace by Airbus
Pormenor no tecto da cabina do A330neo. O acrónimo neo significa "new engine option", nova opção de motor, aludindo assim a uma das novidades que este modelo traz ao mercado Airspace by Airbus
Vista geral da cabina, segundo imagens virtuais do fabricante Airspace by Airbus
Fotogaleria

O anterior presidente executivo da TAP Portugal, Fernando Pinto, disse no final de 2016 ao The Wall Street Journal que a entrega do primeiro A330Neo tinha sido atrasada devido “a uma revisão, por parte do fabricante francês, do calendário de entrega dos novos aviões de longo curso”.

A TAP encomendou à Airbus 14 exemplares do A330Neo, cujo voo de testes inaugural se realizou há pouco mais de um ano, a 19 de Outubro de 2017. Além das novas características técnicas, que distinguem o A330Neo do antecessor A330, o interior deste modelo vai estrear o conceito Airspace by Airbus, desenvolvido pelo fabricante e que promete renovar a experiência da viagem a bordo.

Quanto às novidades para o próximo ano, a empresa portuguesa estima que “as novas rotas e a chegada de mais novos aviões serão os marcos” de 2019. “A TAP terá 14 novos destinos em 2019 e um aumento significado da frota, com a chegada de 37 aviões [contando a partir deste A330Neo] até ao final do próximo ano (71 até 2025), que vêm reforçar o nosso compromisso e ambição de continuar a crescer e a oferecer o melhor aos nossos clientes”, diz o responsável pelas vendas da transportadora, Abílio Martins, à Lusa.

A 28 de Setembro, a TAP anunciou prejuízos de 90 milhões de euros no primeiro semestre. Apesar de um aumento de 18% nas vendas, a companhia viu os prejuízos agravarem-se na primeira metade do ano, face ao período homólogo de 2017, devido a “gastos não recorrentes da ordem dos 40 milhões de euros”. Estes gastos vinham “sobretudo” de “atrasos e cancelamentos”, bem como da reestruturação da empresa de manutenção que a TAP tem no Brasil.

Ainda assim, a transportadora aérea dizia acreditar que o segundo semestre do ano será mais forte, tendo em conta “a contratação e formação de mais pilotos e tripulantes de cabina, bem como alterações à estrutura de planeamento de escalas e medidas para incrementar a pontualidade”.

Em termos de tripulações, a TAP contratou este ano mais de 340 pilotos e 600 tripulantes de cabina, segundo o mesmo responsável.