Resultados da autópsia à família encontrada morta em Sabrosa conhecidos esta terça-feira

Funerais dos cinco familiares realizam-se esta terça-feira de tarde, na igreja da freguesia de Paços.

Foto
Paulo Pimenta

Os cinco familiares encontrados mortos em casa no domingo, em Sabrosa, Vila Real, foram autopsiados nesta segunda-feira e, ao que tudo indica, os resultados serão conhecidos durante a manhã desta terça, indicou o presidente da Câmara Municipal de Sabrosa, Domingos Carvas. Os funerais realizam-se pelas 15h, na igreja do Assento, na freguesia de Paços.

As cinco pessoas – um casal, as duas filhas menores e um tio destas – terão perdido a vida horas antes de serem encontrados em casa, na freguesia de Fermentões, já passava das quatro da tarde deste domingo. A autópsia será determinante para apurar as causas da morte.

Existe a tese de que se tratou de intoxicação por monóxido de carbono, uma vez que a família mantinha um gerador dentro da pequena casa, enquanto não era feita a ligação definitiva à rede de energia eléctrica. Tinha sido ainda avançada a hipótese de as mortes terem sido provocadas por intoxicação alimentar, devido à ingestão de cogumelos venenosos.

Durante a semana, o casal — ela com 44 anos, ele dez anos mais velho — cuidava de uma quinta no Douro, onde vivia com as filhas, de nove e 14 anos. Passavam o fim-de-semana nesta pequena casa, onde iam fazendo obras de melhoria. No domingo estava com eles também o tio, irmão do pai, de 48 anos.

Segundo o comandante dos bombeiros de Sabrosa, a casa da família “não tinha condições mínimas” de habitabilidade. “As divisões são minúsculas, cheias de remendos, de material de construção. Não achava possível alguém viver daquela forma”, afirmou ao PÚBLICO José Barros, no domingo.

As crianças frequentavam o 4.º e o 7.º anos no Agrupamento de Escolas Miguel Torga, em Sabrosa, onde foi ontem disponibilizado um gabinete de apoio, com psicólogos e assistentes sociais, para acompanhar os colegas.

Aos familiares das vítimas foi também disponibilizado acompanhamento psicológico por parte do INEM e da autarquia.