Fotogaleria
DR
Fotogaleria
DR
Fotogaleria
DR
Fotogaleria
As fundadoras DR

Se gostas de andar descalço, estes sapatos são para ti

Sapatos confortáveis e amigos do ambiente. Os Mukishoes são made in Portugal e estão à procura de financiamento no Indiegogo: por cada par vendido, vai ser plantada uma árvore nas zonas destruídas pelos incêndios de 2017.

És daqueles que tira os sapatos à primeira oportunidade que surge? Então estes sapatos são para ti. A Mukishoes, marca portuguesa fundada este ano, criou uma linha de calçado, actualmente à procura de financiamento através de uma campanha de crowdfunding, que devido ao desenho e material usado proporciona uma sensação semelhante à de não ter sapatos nos pés. Mas não é só: o calçado é produzido em Portugal e, além de confortável, é sustentável. Materiais como o cânhamo, o algodão e o linho fazem parte do processo produtivo que recorre, tanto quanto possível, a produtos cultivados biologicamente em território europeu, orgânicos e reciclados.

De acordo com um comunicado enviado ao P3, as designers Marta Dias, portuguesa, e Madlen Pinto, alemã, criaram este calçado ao fim de dois anos de desenvolvimento: “Queríamos criar um salto que simulasse a sensação de andar descalço." Para isso, desenharam um sapato com uma sola fina, flexível, plana e com a biqueira larga, que respeita a forma natural do pé. Não é a primeira vez que sapatos portugueses têm este objectivo: já em 2017 o calçado Iguaneye queria dar a sensação de se estar descalço.

PÚBLICO -
Foto
As fundadoras da marca, Marta Dias e Madlen Pinto MUKISHOES

No caso da Mulkishoes, a preocupação com a sustentabilidade surgiu desde logo, uma vez que uma das co-fundadoras já tinha trabalhado na indústria têxtil e tinha consciência de “como pode ser nefasta a produção na área da moda.” Assim, quiseram que os sapatos “fossem produzidos em condições justas", numa produção "familiar" em Portugal, "usando apenas materiais naturais, seleccionados, de preferência locais", para terem o "menor impacto possível" na natureza, como escreve Marta Dias. O uso de cola, por exemplo, é apenas usado na sola, que é feita de borracha natural e reciclada; os tecidos são tingidos respeitando os certificados GOTS (norma global de têxteis orgânicos), sem pigmentos de organismos geneticamente modificados e através de processos que usam menos água.

Pensados para o dia-a-dia, para momentos em que não se pode andar descalço seja por "razões físicas" ou "sociais", os Mukishoes apresentam um design minimal e unissexo, diversos modelos e cores, para que sirvam todos os gostos. “A aparência também é muito importante para nós. Um sapato confortável e saudável pode ter estilo, ser bonito e adaptar-se a diferentes ocasiões”, referem as fundadoras da marca. 

PÚBLICO -
Foto
DR

Os Mukishoes estão desde segunda-feira, 19 de Novembro, à procura de financiamento na plataforma Indiegogo. Através da campanha de crowdfunding, as criadoras esperam conseguir 18 mil euros para produzir os sapatos e, pelo meio, ajudar o ambiente: a marca juntou-se à associação Reflorestar Portugal e, por cada par vendido, será plantada uma árvore nas áreas mais afectadas pelos incêndios de 2017.