Telemóvel e computador da empresa fazem portugueses levar trabalho para casa

Estudo feito em 13 países europeus mostra que Portugal é o terceiro país em que mais empresas disponibilizam um telemóvel aos seus colaboradores.

Foto
Em Portugal, 66% dos inquiridos admitiu atender chamadas do trabalho em qualquer dia da semana Robin Worral/Unsplash

Os trabalhadores de escritório em Portugal estão habituados a trabalhar fora de horas e em casa. E um dos culpados são os dispositivos electrónicos – como telemóveis e portáteis – que as empresas dão aos seus funcionários.

Num inquérito feito em 13 países europeus, 78% dos portugueses questionados admitiram trabalhar fora do horário laboral e 61% disseram trabalhar nas férias. Grande parte do trabalhado termina em casa.

Mais de 45% dos inquiridos em Portugal consideram que aparelhos que as empresas lhes dão influenciam negativamente a sua vida pessoal, com 66% a admitir que atendem chamadas do trabalho independentemente do dia da semana. 

A conclusão faz parte de um estudo da consultora de recrutamento Michael Page para avaliar o impacto da carreira na vida pessoal dos trabalhadores. O papel de equipamentos fornecidos por empresas (como portáteis, telemóveis, tablets e também carros) foi um dos pontos em análise. “Factores como a globalização ou a evolução tecnológica fazem com que o paradigma do trabalho das nove às seis, em muitos casos, deixe de existir”, escreve a Michael Page.

Dos países em estudo, Portugal é o segundo país europeu, depois de Espanha, que mais trabalho leva para casa. No total, foram inquiridos 5196 trabalhadores – dos quais 768 trabalham em Portugal – entre os 25 e os 65 anos. Cerca de 21% dos indivíduos em Portugal que participaram no inquérito ocupam posições de direcção nas empresas. A amostra inclui ainda 35% inquiridos em cargos de gestão, 26% em posições de técnicos especializados, e 15% em posições de administração. Apenas 1,3% da amostra desempenha trabalhos de mão-de-obra manual.

Depois da Alemanha e de Espanha, Portugal é o terceiro país em que mais empresas disponibilizam um telemóvel aos seus colaboradores. Muitas vezes os portugueses usam-nos tanto para assuntos pessoais como de trabalho.

Questionados sobre o motivo de usarem o telemóvel profissional fora das horas de trabalho, 85% inquiridos responderam ter “responsabilidades que os obrigam a estar contactáveis”, mas 26% disseram que usavam os dispositivos apenas por “obrigação” e com receio de que os seus empregadores valorizassem menos o seu trabalho.

Por outro lado, houve quem dissesse que trabalhava melhor fora da empresa e do horário laboral.

Ainda assim, 64% dos inquiridos disseram estarem satisfeitos com o equilíbrio entre vida pessoal e trabalho.

"Momentos de lazer e de convívio deverão ser preservados, evitando o impulso de responder a emails ou resolver assuntos profissionais que possam ser adiados temporariamente", nota a Michael Page.