Caruana deixa escapar oportunidade de vencer Carlsen

O norte-americano chegou a estar em vantagem sobre o norueguês mas não a soube aproveitar.

Foto
Caruana PAUL CHILDS/Reuters

O encontro para o título mundial entre Magnus Carlsen e Fabiano Caruana, que se está a realizar em Londres, não ata nem desata, com as seis partidas já disputadas, num duelo previsto à melhor de 12, a terminarem todas empatadas. Mas, no sexto duelo, o pretendente norte-americano esteve perto de conseguir triunfar, o que a acontecer teria colocado Carlsen em situação muito difícil.

O campeão mundial mudou a sua estratégia de abertura, tendo utilizado pela primeira vez o avanço do peão de rei no primeiro movimento. E Caruana, fiel ao seu estilo, escolheu a sua habitual defesa, mesmo sabendo que Carlsen teria algo especialmente preparado. Só que, nesta guerra psicológica, foram as negras que levaram a melhor, pois no final da abertura a igualdade era total e parecia que não demoraria muito até ser acordado o empate.

Só que o norueguês começou então a jogar de forma superficial, cometeu algumas imprecisões e, de repente, estava em situação de derrota iminente. Para a evitar sacrificou uma peça e parecia que a compensação alcançada era suficiente. Mas ao 67.º movimento os computadores piscavam no vermelho, anunciando que Caruana dispunha de uma sequência cuja melhor defesa levaria ao mate em 36 movimentos. No entanto, sobre o tabuleiro, com um tempo de reflexão limitado, era praticamente impossível encontrar o caminho para o triunfo e foi com surpresa, na conferência de imprensa que se seguiu à partida, que ambos tomaram conhecimento da possibilidade referida.

Já na cidade russa de Kanthy–Mansyisk, onde decorre o Mundial feminino, a detentora do título, a chinesa Wenjun Yu, qualificou-se para a final da prova ao eliminar a russa Alexandra Kosteniuk, 1,5-0,5, enquanto na outra meia-final a ucraniana Marya Muzichuk não resistiu no desempate das partidas semi-rápidas à sua ex-compatriota, Katherina Lagno, que agora defende as cores russas.