Os cães que farejam a Califórnia à procura de cadáveres

Terray Sylvester/Reuters
Fotogaleria
Terray Sylvester/Reuters

63 mortes confirmadas e mais de 600 pessoas desaparecidas: é este o mais recente balanço do incêndio da Califórnia, que começou a 8 de Novembro e consumiu, até ao momento, 56 mil hectares. Além dos 9400 bombeiros que estão a combater o fogo, uma equipa de cães treinados procura cadáveres entre os destroços. As imagens da fotogaleria mostram cães e investigadores (mais de 450, de acordo com o Washington Post) a trabalhar em equipa, na esperança de encontrar restos humanos em carros e casas devastados pelo fogo. Echo e I.C. percorrem caminhos e destroços em busca de cadáveres. 

Este é o maior e mais mortal incêndio florestal de que há memória no estado norte-americano da Califórnia. O segundo remonta a 1993 e provocou 31 mortes. Paradise é a zona mais afectada: segundo as autoridades californianas, a cidade vai precisar de “vários anos” para se reconstruir. De acordo com o comandante dos bombeiros da Califórnia, Ken Pimlott, o combate só deverá terminar no final de Novembro e as operações de busca devem prolongar-se por várias semanas depois da extinção do fogo.

Noel Randewich/Reuters
Larry e Karen Atkinson, investigadores, procuram restos humanos numa carrinha destruída.
Larry e Karen Atkinson, investigadores, procuram restos humanos numa carrinha destruída. Terray Sylvester/Reuters
Um dos cães, Echo, procura cadáveres num cenário de destruição provocado pelo incêndio.
Um dos cães, Echo, procura cadáveres num cenário de destruição provocado pelo incêndio. Terray Sylvester/Reuters
Terray Sylvester/Reuters
Terray Sylvester/Reuters
I.C., outro dos cães treinados para encontrar cadáveres nos escombros do incêndio.
I.C., outro dos cães treinados para encontrar cadáveres nos escombros do incêndio. Terray Sylvester/Reuters
Terray Sylvester/Reuters
Terray Sylvester/Reuters
Trish Moutard procura restos humanos com o seu cão I.C.
Trish Moutard procura restos humanos com o seu cão I.C. Terray Sylvester/Reuters
Terray Sylvester/Reuters
Terray Sylvester/Reuters
Terray Sylvester/Reuters
Terray Sylvester/Reuters
Terray Sylvester/Reuters
Terray Sylvester/Reuters
Terray Sylvester/Reuters
Sugerir correcção