Operestiva vai pôr anúncio para contratar estivadores em Setúbal

Empresa mantém intenção de assinar um contrato individual de trabalho com 30 estivadores. E diz que dará preferência aos que ali estiveram, até agora, como eventuais.

Foto
ANDRé AREIAS/Lusa

A Operestiva, empresa de trabalho portuário de Setúbal, anunciou esta sexta-feira a intenção de abrir um processo de contratação de 30 estivadores para integrar os quadros da empresa, admitindo mesmo colocar anúncios na imprensa para os preencher.

Depois de mais de uma semana de paralisação, feita pelos estivadores que prestam serviço à empresa por turnos para os quais são convocados diariamente, mantém-se o braço de ferro entre operadores e funcionários, que continuam a recusar-se a trabalhar enquanto os patrões não avançarem para a negociação de um contrato colectivo de trabalho. 

Diogo Marecos, gerente da Operestiva, disse esta sexta-feira, em conferência de imprensa, que a opção por trabalhadores eventuais decorre da imprevisibilidade do negócio, lembrando que estão dependentes da data e da hora a que chegam os navios e da carga que trazem. "O que podemos fazer é repetir a promessa que fizemos em Setembro do ano passado: se as cargas regressarem ao porto, podemos contratar mais trabalhadores", disse.

Neste momento, a Operestiva diz-se empenhada em preencher 28 lugares no quadro da empresa.

A empresa garante que irá dar prioridade aos trabalhadores que até agora prestaram serviço na empresa. “São trabalhadores eventuais, não são trabalhadores precários”, insiste Diogo Marecos. Mas, se não aparecerem entre os 92 dos que já lá trabalham como eventuais, assinarão contrato com outros.