Pinto da Costa ouvido em tribunal sobre caso dos e-mails

Esta sexta-feira vão ser igualmente ouvidos os administradores da SAD portista. Em causa está uma queixa apresentada pelo Benfica contra o FC Porto pela divulgação de comunicação interna.

Foto
fvl fernando veludo n/factos

O presidente do Futebol Clube do Porto foi na manhã desta sexta-feira ouvido no Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), em Lisboa, no âmbito do caso dos e-mails. Jorge Nuno Pinto da Costa falou, como administrador do Porto Canal, na qualidade de testemunha na sequência de uma queixa apresentada pelo Benfica contra o FC Porto pela divulgação da comunicação interna do clube da Luz.

Esta sexta-feira vão ser igualmente ouvidos os administradores da SAD portista Adelino Caldeira, Fernando Gomes, Rui Vieira Sá e Reinaldo Teles, notificados nas últimas semanas pelo Ministério Público para prestar declarações, confirmou ao PÚBLICO o director de comunicação do clube, Francisco J. Marques. 

Este responsável pela comunicação é, aliás, o único arguido neste inquérito. O DCIAP investiga a divulgação dos e-mails do domínio “slbenfica.pt”, após uma queixa do Benfica que alega, entre outros crimes, roubo e violação de privacidade. Os e-mails em causa estão na origem da investigação a alegados casos de corrupção ligados ao clube da Luz.

O conteúdo deste correio interno foi tornado público a 6 de Junho do ano passado, quando Francisco J. Marques revelou no Porto Canal os emails que terão sido trocados entre Adão Mendes, antigo árbitro da Associação de Futebol de Braga, e Pedro Guerra, director de conteúdos da Benfica TV e comentador na TVI. Para o director de comunicação do Porto, os e-mails comprovam a existência de um alegado “esquema de corrupção [na arbitragem] para beneficiar o Benfica”.

Um inquérito diferente é aquele que investiga, não a divulgação, mas o roubo destes e-mails. Estes terão sido obtidos por Rui Pinto, jovem hacker português que viverá na Hungria, o principal suspeito nesse processo.