CP lança concurso de 400 mil euros para comprar tablets

A aquisição dos tablets representará um custo de 399.500 euros para a empresa pública de comboios, ou aproximadamente 470 euros por dispositivo.

Foto
Nelson Garrido

A CP – Comboios de Portugal prorrogou esta sexta-feira por mais seis dias o prazo para a apresentação de propostas relativas a um concurso público de aquisição de 850 tablets, segundo um anúncio publicado em Diário da República.

A aquisição dos tablets representará um custo de 399.500 euros para a empresa pública de comboios, ou aproximadamente 470 euros por dispositivo, tal como foi avançado pelo Eco.

O anúncio não refere a finalidade que a empresa presidida por Carlos Gomes Nogueira pretende atribuir aos tablets.

A CP está neste momento a receber nova vaga de dinheiro público. No mês passado a companhia ferroviária revelou que o Estado realizou um novo aumento de capital de 23 milhões de euros, dos quais 13 milhões deveriam ser injectados em Outubro e os restantes dez milhões em Novembro.

Em Junho, o Estado português já tinha capitalizado em 14 milhões de euros a companhia, que nos últimos meses tem estado sob grande pressão pelos atrasos e supressões de comboios, relacionados com a falta de material circulante. Algo que a CP tem tentado colmatar com o aluguer de comboios à espanhola Renfe.

Recentemente, a empresa recebeu autorização para comprar 22 novos comboios para o serviço regional. Este esforço financeiro de 168 milhões de euros será financiado na maioria por fundos europeus (FEDER), num total de 109 milhões de euros. Os restantes 59 milhões da comparticipação nacional serão garantidos pelo Fundo Ambiental.

Segundo afirmou o presidente da CP no Parlamento, os novos comboios só chegarão em 2023 ou 2024, depois de asseguradas as verbas e de aberto o concurso internacional.