Tesla já tem substituta para Elon Musk

Robyn Denholm será a nova presidente do conselho de administração da Tesla. E vai deixar o cargo de administradora financeira e responsável pela estratégia na Telstra, a maior empresa de telecomunicações da Austrália.

Fotogaleria
Robyn Denholm Telstra/ DR
Fotogaleria
Reuters/THOMAS PETER

A Tesla já tem uma substituta para Elon Musk na presidência do Conselho de Administração da Tesla. Robyn Denholm vai substituir o milionário como chairman, depois de Musk ter sido afastado em Setembro, ao abrigo de um acordo com a entidade que regula o mercado bolsista nos EUA, a Securities and Exchange Commission (SEC).

Musk foi processado pela SEC e acusado de ter prestado "declarações públicas falsas e enganadoras". Com um tweet, a 7 de Agosto, o empresário lançou o caos no mercado ao afirmar que estava a equacionar a hipótese de retirar a empresa Tesla da bolsa. "Estou a considerar tornar a Tesla privada a 420 dólares. Financiamento assegurado", lia-se no tweet

A empresa tinha até ao dia 13 de Novembro para apresentar um substituto para Musk e cumpriu-o. A nova directora executiva foi apresentada na noite da passada quarta-feira.

Robyn Denholm vai deixar o cargo de administradora executiva financeira e chefe de estratégia na Telstra, a maior empresa de telecomunicações da Austrália. Entra em funções na Tesla assim que terminarem os seis meses de aviso de demissão. Até lá, conforme se lê num comunicado da empresa de automóveis eléctricos, vai contar com a ajuda de Musk, que se mantém como CEO, para “assegurar uma transição suave” na presidência do conselho de administração.

Denholm não é um nome novo na Tesla: já pertencia ao comité de auditoria e ocupava funções na empresa enquanto directora independente desde 2014. No currículo conta com várias experiências de administração de empresas da área tecnológica, como a Juniper Networks, a Sun Microsystems e no departamento financeiro da Toyota.

Um porta-voz da Tesla explicou, num e-mail à CNBC, que assim que Denholm deixar a Telstra, receberá 300 mil dólares anuais e 8 mil stock options enquanto forma de remuneração.

"Gostava de agradecer à Robyn por se juntar à equipa. Muito respeito. Estou ansioso por trabalhar com ela", reagiu Elon Musk através do Twitter. 

A nomeação de Denholm surge ao cabo de meses de turbulência para a empresa automóvel. O comportamento errático de Elon Musk preocupou os investidores, que começaram a duvidar da sua capacidade para liderar a empresa numa fase de crescimento instável.

Os últimos números disponíveis, que datam do final de Outubro mostram, no entanto um aumento de 82% na receita proveniente da venda de carros, um registo de lucros relativos ao terceiro trimestre que ultrapassou as expectativas em Wall Street.