Ílhavo vai servir durante cinco dias a cozinha tradicional bacalhoeira

A gastronomia que era produzida a bordo das embarcações de pesca longínqua vai estar em destaque nas ementas de 14 restaurantes. Uma evocação do passado que promete ter, também, um toque de modernidade.

Fotogaleria
Margarida Malaquias
Fotogaleria
Margarida Malaquias
Fotogaleria
Margarida Malaquias
Fotogaleria
Margarida Malaquias
Fotogaleria
Margarida Malaquias
Fotogaleria

Cabeças de bacalhau, arroz, cebola, alho, louro, tomate, azeite, água e vinho branco. A lista de ingredientes é simples, o resultado final revela-se bem mais composto. A chora de bacalhau, uma espécie de sopa que outrora era servida a bordo dos navios bacalhoeiros, será um dos pratos fortes do Festival Gastronomia de Bordo que, entre os próximos dias 14 e 18, decorrerá em Ílhavo.

Mais de uma dezena de restaurantes do município irão proporcionar experiências gastronómicas com um mínimo de três pratos e preços entre os 10 e os 30 euros. E, também sob o pretexto da gastronomia que outrora alimentava os pescadores, decorrerão várias visitas guiadas, algumas delas com direito a degustações – de bacalhau, claro está.

Depois de um primeiro momento, no passado mês de Outubro, em Peniche, o Festival Gastronomia de Bordo prepara-se, agora, para lançar âncora em Ílhavo – e, em Dezembro, navegará até à Murtosa, outro dos municípios envolvidos no projecto de programação cultural em rede no qual este festival se insere. Durante cinco dias, 14 restaurantes do município que garante ser a “capital portuguesa do bacalhau” irão reservar lugar de destaque para a cozinha tradicional bacalhoeira.

PÚBLICO -
Foto
Margarida Malaquias

O melhor é começar já a fazer a sua selecção e a reservar mesa: Praia do Tubarão, Bela Ria, Canastra do Fidalgo, Cantina Bar da Lota, Duna do Meio, Estrela do Mar, Maradentro, Marisqueira Barra, Marisqueira da Costa Nova, Montebelo Vista Alegre Ílhavo Hotel, O Gafanhoto, O Navegante, Salsus e Traineira.

Para aqueles que possam pensar que este será mais um festival do bacalhau – Ílhavo já tem um e decorre, anualmente, em Agosto -, a chef Patrícia Borges, mentora do projecto, faz questão de desfazer todas as dúvidas: “Ainda que o bacalhau e seus sucedâneos estejam presentes, as propostas destacam a cozinha tradicional bacalhoeira”, marcada por pratos como caldeirada de espinhas de bacalhau ou o bacalhau frito, além da chora.

As ementas estarão, assim, carregadas de história mas o festival pretende ter, igualmente, uma boa dose de inovação. Patrícia Borges promete não deixar créditos por mãos alheias e, depois de ter já andado a criar receitas como a patanisca negra e o hambúrguer de bacalhau, prepara-se para voltar a surpreender. “Estou a pensar criar um ceviche de bacalhau fresco para o evento de arranque do festival”, desvenda a chef especialista em peixe.

Visitas ao património a pretexto da gastronomia

Além das propostas oferecidas por cada um dos restaurantes aderentes, o festival reserva, então, um programa de visitas paralelo e que recebe o nome de “Sentidos de mar”. São várias propostas para descobrir o património marítimo e iconográfico do município de Ílhavo, incluindo o religioso. “Vamos ter, por exemplo, um passeio ciclável gratuito na Costa Nova do Prado, no primeiro dia do festival, em que as bicicletas são disponibilizadas pela organização. Já no dia 15, a proposta passa por um passeio pedestre orientado no Porto de Pesca Costeira e com visita à lota, onde se poderá assistir a um leilão”, destacou Fátima Teles, vereadora da câmara de Ílhavo.

“Ílhavo, caminhos da procissão do Senhor Jesus dos Navegantes” é a proposta para dia 16 e consiste num passeio pedestre em torno da emblemática procissão ilhavense (5 euros por pessoa), antecedendo a visita gastronómica orientada ao Museu Marítimo de Ílhavo - por José Gomes Ribeiro, Álvaro Garrido e Patrícia Borges -, na manhã do dia 17, com degustação (3 euros por pessoa).

Também no dia 17, mas da parte da tarde, decorrerá um passeio orientado de bicicleta aos estaleiros Delmar Conde e Carmonáutica (8 euros por pessoa). O último passeio é feito, em parte, a bordo de uma lancha, e consiste numa visita orientada ao porto de pesca costeiro e à empresa de transformação alimentar do bacalhau – Bacalhau Barents, com degustação preparada pelo chef Ricardo Marques, do Montebelo Vista Alegre Ílhavo Hotel (15 euros por pessoa).