MP pede mais tempo para investigar caso dos e-mails

O processo envolve o Benfica e suspeitas relacionadas com alegadas pressões a agentes do futebol.

Filipe Vieira
Foto
Filipe Vieira LUSA/Miguel A. Lopes

O Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa pediu à juíza de instrução mais tempo para investigar o caso dos e-mails, alegando a excepcional complexidade do processo. O caso prende-se com suspeitas pressão sobre equipas de arbitragem arbitragens e outras entidades do futebol português por parte de responsáveis do Benfica de forma a obter resultados favoráveis para o clube.

De acordo com o Expresso, os procuradores do DIAP consideram que a actividade criminosa em causa “se insere num esquema altamente organizado", podendo estar em cima da mesa "crimes de corrupção activa e passiva".

Para justificar o pedido do alargamento do tempo da investigação, o Ministério Público fala na gravidade dos crimes em causa, no número elevado de pessoas a ser alvo dessa investigação e no volume da documentação que foi já e que ainda será produzida.

O inquérito, revela o Expresso, já conta com sete volumes e dezenas de apensos.