Palcos da semana

Um sedutor, um aniversário e um mapa misturam-se com jazz e o futuro.

Foto
Canção do Bandido Pedro Macedo/Framed Films

Ópera
Sedução e outras macacadas

Nuno Côrte-Real compôs e dirige. Pedro Mexia assina o libreto. Ricardo Neves-Neves encena. É esta a trindade de criadores responsável pela Canção do Bandido, uma ópera cómica sobre os meandros da sedução. O ponto de partida é o conto tradicional O macaco do rabo cortado. Mas o protagonista não é um símio: é um advogado com manhas de Casanova moderno. A dar vida ao conquistador serial e inconsequente está o barítono André Henriques, que contracena com Bárbara Barradas, Cátia Moreso, Inês Simões, Marco Alves dos Santos e Sónia Alcobaça. A interpretação musical é da Orquestra Sinfónica Portuguesa com o Coro do São Carlos. Canção do Bandido é uma co-produção do Teatro da Trindade, do Teatro Nacional de São Carlos e da Temporada Darcos.

LISBOA Teatro da Trindade
De 8 a 18 de Novembro. Quarta, às 19h; quinta a sábado, às 21h; domingo, às 16h30.
Bilhetes de 12€ a 80€

 

PÚBLICO -
Foto
Rodrigo Leão Augusto Brázio

Música
Aniversário de Leão

Entre os concertos d'Os Portugueses – revisitação de Portugal, Um Retrato Social, de 2007 –, Rodrigo Leão arranja tempo para celebrar nos coliseus 25 anos de música contados a partir da edição de Ave Mundi Luminar, o álbum com que se lançou a solo, em 1993, quando já tinha nome solidificado nos Sétima Legião e Madredeus. O espectáculo O Aniversário percorre os maiores momentos do compositor (bandas sonoras incluídas), na senda do best of duplo que editou este ano. E, à sua semelhança, contará com a presença em palco de músicos com que foi colaborando.

PORTO Coliseu do Porto
Dias 7 e 8 de Novembro, às 21h30.
Bilhetes de 35€ a 40€

LISBOA Coliseu dos Recreios
Dias 9 e 10 de Novembro, às 21h30 (no sábado, também às 18h).
Bilhetes de 15€ a 50€

 

PÚBLICO -
Foto
Mapa Mundi DR

Teatro
Craveiro num mapa maior

Um mapa de memórias, afectos e histórias é desenhado por Joana Craveiro a partir do contacto com elementos da Companhia Maior. Mapa Mundi é uma peça para, segundo a encenadora e autora do texto, celebrar "as vidas ricas e profundas dos artistas da companhia" e criar com eles "uma geografia poética dos lugares todos que já habitaram, visitaram ou que gostariam de visitar". Craveiro, que se tem especializado num teatro que faz uma espécie de arqueologia da memória, junta-se assim a Clara Andermatt, Mónica Calle, Nuno Cardoso, Ana Borralho e João Galante, Tónan Quito, Pedro Penim e outros criadores que têm trabalhado com a ainda jovem companhia (nasceu em 2010), composta por intérpretes com mais de 60 anos.

LISBOA Centro Cultural de Belém
De 9 a 12 de Novembro, às 21h (excepto domingo, às 16h).
Bilhetes a 15€

 

PÚBLICO -
Foto
Dave Holland DR

Jazz
Treze em dez

Dave Holland, um dos mais excepcionais contrabaixistas, compositores e arranjadores do jazz actual, vem mostrar Aziza, um novo projecto em que tem como cúmplices Chris Potter, Kevin Eubanks (aqui substituído por Lionel Loueke) e Eric Harland. Assim começa a 27.ª edição do Guimarães Jazz, um caso sério de luxo de cartaz que este ano, pela primeira vez, decorre em dez dias consecutivos, com lugar para 13 concertos no total. Até ao encerramento, feito com uma homenagem a Charles Mingus trazida pela Mingus Big Band, ouvem-se músicos como Dave Douglas, Steven Bernstein, David Helbock, João Barradas, Greg Osby ou Avishai Cohen.

GUIMARÃES Centro Cultural Vila Flor
De 8 a 17 de Novembro.
Bilhetes de 7,50€ a 15€ (espectáculo) e 35€ a 80€ (passe)

 

PÚBLICO -
Foto
Parthenon Marbles, acção performativa de Alexandra Pirici DR

Pensamento
Ágora de futuro

O quinto Fórum do Futuro vira-se para o passado. Conduzido pelo tema Ágora Club, vai andar a pensar e questionar a influência da Antiguidade nas sociedades contemporâneas, para perceber e desmontar cânones que se manifestam da filosofia à política, da literatura às artes performativas, da arquitectura às ciências exactas. Na sessão de abertura, a artista e activista russa Nadya Tolokonnikova, da banda Pussy Riot, lança a questão "De que serve um pensamento sem uma acção que o concretize?". O debate prossegue em várias frentes, com o realizador Luca Guadagnino, o artista Walid Raad, o sociólogo-filósofo Maurizio Lazzarato, o astrofísico Michel Mayor, a curadora Martha Kirszenbaum, o arquitecto Toyo Ito, o dramaturgo Martin Crimp, a escritora Margaret Atwood e a artista Alexandra Pirici (na imagem, a acção performativa Parthenon Marbles) – apenas alguns entre os mais de 50 pensadores chegados de 17 países. A lista completa está aqui.

PORTO Teatro Rivoli, Mala Voadora, Palácio da Bolsa, Ateneu Comercial, Palácio do Bolhão, Teatro Carlos Alberto, Museu de Serralves, Cinema Trindade e Casa da Música
De 4 a 10 de Novembro.
Grátis (levantamento prévio do bilhete)