Homem invade centro de yoga na Florida e mata duas pessoas

Há ainda três vítimas em estado crítico. O homem suicidou-se após o ataque.

O democrata Andrew Gillum suspendeu a campanha após o ataque
Foto
O democrata Andrew Gillum suspendeu a campanha após o ataque Reuters/JOE SKIPPER

Um homem invadiu na sexta-feira uma aula de yoga no Tallahassee, no estado da Florida (EUA), matando a tiro duas pessoas. 

Três outras vítimas estão no hospital, em condições críticas, detalha a agência Associated Press. Depois de disparar contra as vítimas, o atirador suicidou-se.

O ataque aconteceu num centro de yoga localizado num pequeno centro comercial da cidade. 

"Todas as provas recolhidas indicam que o ataque foi conduzido por uma só pessoa", informou o chefe de polícia, Michael DeLeo, sem adiantar as possíveis motivações do crime. O suspeito será o norte-americano de 40 anos, Scott Paul Beierle.

O tiroteio fez com que o mayor da cidade suspendesse temporariamente sua campanha pelas eleições intercalares nos Estados Unidos. “Estou profundamente grato pela rápida resposta das autoridades norte-americanas. Nenhum acto de violência armada é aceitável. Estou a acompanhar de perto o trabalho das forças policiais e regressarei ao Tallahassee esta noite”, declarou no Twitter o mayor, o democrata Andrew Gillum. O ataque acontece horas depois de Barack Obama ter estado na Florida a apoiar os candidatos democratas.

Crime nos EUA

O ataque surge numa altura em que o discurso do Presidente norte-americano Donald Trump, que — sem apresentar dados que sustentem a sua argumentação — culpa o Partido Democrata pelos níveis de crime no país.

O discurso do líder norte-americano tem sido reproduzido pelos candidatos republicanos, incluindo o candidato à corrida pelo Tallahassee, Ron DeSantis que culpa o mayor democrata pelos níveis de crime na cidade, conta a imprensa local.

Há duas semanas, as autoridades detiveram homem que terá enviado pelo menos 14 pacotes com bombas a várias personalidades ligadas ao Partido Democrata, incluindo Barack Obama e Hillary Clinton. O principal suspeito, Cesar Sayoc, tem 56 anos, é um fervoroso apoiante do Presidente dos EUA, estando registado no Partido Republicano desde Março de 2016. Foi detido na cidade de Plantation, na Florida.

No último sábado, 11 pessoas morreram depois de um atirador ter atacado a sinagoga Árvore da Vida, em Pittsburgh, no estado norte-americano da Pensilvânia. Robert Bowers, um homem branco, de 46 anos de idade, estava armado com uma metralhadora do tipo AR-15 e três revólveres e terá gritado  “todos os judeus têm de morrer” antes de começar a disparar. O Presidente norte-americano rejeita que a legislação norte-americana sobre as armas esteja relacionada com a frequência destes ataques.