Nove feridos no centro de Tunes, onde uma mulher se fez explodir

A explosão ocorreu na movimentade avenida Habib Bourguiba. Oito dos feridos são agentes da polícia.

Foto
A explosão aconteceu nas imediações do Teatro Municipal Tarek Amara/Reuters

Uma mulher de cerca de 30 fez-se explodir no centro de Tunes, a capital da Tunísia, provocando nove feridos, oito deles polícias.

A “explosão terrorista” ocorreu na longa e movimentada avenida Habib Bourguiba, repleta de esplanadas de cafés e restaurantes, lojas e edifícios governamentais.

“Estava em frente do teatro e ouvi uma grande explosão”, disse à Reuters Mohamed Ekbal bin Rajib. A explosão aconteceu junto ao centro comercial Le Palmarium, nas imediações do Teatro Municipal, um dos pontos de encontro habituais dos tunisinos nesta artéria central.

Esta zona da Bourguiba foi fechada pela polícia e várias ambulâncias estiveram no local.

“Oito polícias e um civil ficaram feridos neste ataque suicida”, disse aos jornalistas Sofiene Zaag, porta-voz do Ministério do Interior, confirmando que a bombista é a única vítima mortal.

De acordo com a Radio Mosaique FM, a mulher usou uma granada de fabrico caseiro com pequenas quantidades de explosivos. Fotografias entretanto publicadas pela rádio nas redes sociais mostram uma mulher no chão, aparentemente morta, com ferimentos na anca esquerda, vestida com calças e blusão escuro, com véu.

Desde a revolução que fez cair a ditadura de Ben Ali, em Janeiro de 2011, a Tunísia foi palco de vários atentados que quase acabaram com o turismo, um sector responsável por 7% do PIB.

Depois dos piores ataques, a segurança melhorou de forma significativa – mesmo porque o país está sob estado de emergência desde Novembro de 2015, quando um ataque com bombista suicida reivindicado pelo Daesh matou 12 guardas presidenciais.

Nesse mesmo ano, 21 pessoas já tinham sido mortas mortas durante uma tomada de reféns no principal museu do país, o Bardo, em Tunes, e um homem armado matou 38 pessoas num resort de praia em Sousse.