PS furioso com Cavaco: "É delação" e "falta de sentido de Estado"

Carlos César, presidente do PS, considera que revelações do livro de Cavaco mostram atitude de "devassa" e "delação presidencial". "Nunca se esperaria. É perfeitamente lamentável", criticou.

Foto
Rui Gaudencio

O presidente do PS e líder parlamentar, Carlos César, acusou esta noite na SIC o ex-Presidente da República de "uma infeliz falta de sentido de Estado" devido às revelações que faz sobre vários políticos no último volume da biografia "Quinta-feira e outros dias", posto à venda esta semana.

Indignado, César disse mesmo que Cavaco "zurziu no carácter e personalidade de pessoas com quem privou" em Belém. E deu exemplos, ao referir algumas classificações do ex-Presidente sobre a atitude de vários políticos: "infeliz", "irresponsável", "trivial", "medroso", "de mau trato", "artista".

"A valentia que exibiu neste livro contrasta com a pouca valentia com que exerce a autocrítica", afirmou, acrescentando que esta atitude denota "devassa" e "delação presidencial". "Nunca se esperaria. É perfeitamente lamentável", insistiu.

César acabou a elogiar o actual Presidente, Marcelo Rebelo de Sousa, que disse que nunca comentaria conversas tidas enquanto Chefe de Estado. 

O presidente do PS não gostou ainda da forma "tragico-cómica e quase displicente como se referiu aos acordos PS-PCP-BE como sendo de grande fragilidade e indignidade" e condenou "o mau princípio de delação de assuntos que deviam estar na área do Estado e da reserva" e de "coleccionar factos para alimentar projectos editoriais".