Francisco Assis no Brasil com Haddad na recta final das presidenciais

Eurodeputado socialista foi convidado pelo PT para estar ao lado do candidato de esquerda na véspera e no dia da eleição. Artigo de opinião no PÚBLICO contribuiu para o convite.

Assis foi convidado a estar em São Paulo na véspera e no dia da eleição
Foto
Assis foi convidado a estar em São Paulo na véspera e no dia da eleição Rui Gaudencio

Francisco Assis vai estar em São Paulo com o candidato do Partido dos Trabalhadores (PT), Fernando Haddad, na véspera e no dia da votação da segunda volta das eleições presidenciais brasileiras. O convite foi feito pela Secretaria de Relações Internacionais do PT, na sequência do artigo de opinião que Assis escreveu no PÚBLICO a 11 de Outubro e que teve grande repercussão no Brasil.

O artigo intitulado “Um canalha à porta do Planalto”, que descreve o candidato da direita, Jair Bolsonaro, como “a representação do fascismo”, foi citado em vários órgãos de comunicação sociais brasileiros e partilhado nas redes sociais por várias figuras públicas, entre elas o popular humorista Gregório Duvivier, criador do site Porta dos Fundos.

Artigo

“A situação excepcional que vivemos, e que agravou o quadro económico e social do país nos últimos anos, levou parte expressiva de nossa população a aceitar e adoptar o discurso radical de um candidato de extrema-direita, que prega a violência contra as minorias e os mais pobres, que nega a defesa de nosso meio ambiente e da nossa soberania. Registamos que, passados apenas quatro dias do primeiro turno (primeira volta), já contabilizámos mais de uma centena de casos que relatam acções de violência, humilhação, ameaças e inclusive um assassinato contra pessoas que se manifestaram contra o candidato do fascismo”, começa por dizer o convite do PT endereçado a Francisco de Assis.

Acrescentando que, na segunda volta, a coligação de partidos que apoia Fernando Haddad “terá pela frente a tarefa de convencer a população brasileira de que podemos e devemos combater nossos problemas com respeito à cidadania”, a Secretaria de Relações Internacionais do PT desafia então o eurodeputado socialista a estar presente junto de Haddad, no local onde também vai estar o núcleo central do PT: “Gostaríamos de contar com sua presença nos dias 27 e 28 de Outubro, para acompanhar-nos neste segundo turno no auditório da Central Única dos Trabalhadores em São Paulo, numa jornada que se iniciará na tarde do dia 27 e seguirá pelo dia 28 à tarde e à noite. Lamentamos não poder ajudar com os custos da sua viagem, mas para nós será muito importante sua participação neste momento decisivo para a vida política brasileira.”

“Não podia deixar de ir, de estar presente. Vou porque o momento é importantíssimo para todos nós. Tenho acompanhado com muita atenção a situação no Brasil, até como eurodeputado, e não podia deixar de ir”, assume ao PÚBLICO Francisco Assis, que é membro da delegação para as relações com o Brasil do Parlamento Europeu.

O eurodeputado diz que também vai estar presente “por solidariedade para com o povo brasileiro” e “até por obrigação” de “defesa da democracia”, que “está em causa no Brasil”.