Prince, Sakamoto, M. I. A. e Chico Fininho: música para todos no Porto/Post/Doc

Programação de documentários musicais do festival portuense, de 24 de Novembro a 2 de Dezembro, inclui ainda PAUS e Pop dell’Arte.

Capa do disco <i>Sign o’ the Times</i>
Foto
Capa do disco Sign o’ the Times DR

Sign o’ the Times, o lendário filme-concerto onde Prince registou em palco o seu seminal álbum duplo de 1988, encerra o próximo Porto/Post/Doc. O festival portuense de cinemas do real fecha assim com chave de ouro a sua quinta edição, que corre entre 24 de Novembro e 2 de Dezembro, apresentando um filme que nunca teve estreia comercial no nosso país, num momento em que o inclassificável génio de Prince volta à mó de cima com a edição de um álbum de maquetas para voz e piano.

Mas Sign o’ the Times não será a única surpresa do festival, que “desenterrou” igualmente um dos objectos perdidos do cinema português – Chico Fininho, experiência de exploitation à portuguesa, dirigida em 1981 por Sério Fernandes e inspirada na canção que lançou Rui Veloso e o boom do rock português em 1980. Vítor Norte interpreta o Chico Fininho num filme que também tem música dos Táxi, dos UHF ou dos Tantra.

Outros nomes portugueses, estes mais recentes, estarão na programação da secção Transmission, dedicada à música: os PAUS com PAUS Madeira, documentário de Ernesto Bacalhau sobre a criação do álbum homónimo da banda, e os Pop dell’Arte com Ainda Tenho um Sonho ou Dois, documentário biográfico assinado por Nuno Duarte e Nuno Galopim.

Haverá ainda espaço para Async at the Park Avenue Armory, registo da apresentação do álbum homónimo de Ryuichi Sakamoto em Nova Iorque dirigido por Stephen Nomura Schible; MATANGI/MAYA/M.I.A., o documentário que Steve Loveridge dedicou a M. I. A., e que passou pelo Indielisboa este ano; e Rudeboy: The Story of Trojan Records, com Nicolas Jack Davies a contar a história da lendária editora britânica de reggae fundada em 1968 por Lee Gopthal e Chris Blackwell, por cujo catálogo passaram Lee “Scratch” Perry, Jimmy Cliff ou Toots and the Maytals.

Este programa vem juntar-se às já anunciadas retrospectivas dedicadas a António Reis e Margarida Cardoso, Chris Petit e Matías Piñeiro, e antecipa a divulgação completa do programa do Porto/Post/Doc em conferência a decorrer no próximo dia 30.